Avaliação de resto-ingesta em unidade de alimentação e nutrição

Maria Olimpia Ribeiro do Vale Almada, Joab Oliveira Salomão, Jéssica Sabrina da Silva, Dayane da Silva Peres

Resumo


RESUMO

Objetivo: avaliar o índice de sobras e resto-ingesta do almoço da Unidade de Alimentação e Nutrição do Grupo de Apoio a Pacientes Oncológicos. Método: trata-se de um estudo quantitativo em que foram analisadas as refeições de 2664 comensais. Utilizou-se, para a análise dos dados, a tabulação para a organização das informações, e todos os cálculos foram realizados conforme fórmulas. Resultados: verificaram-se um índice de sobras de 24,4% e um índice de restos de 6,75 em pacientes e 8,29, em acompanhantes/colaboradores, sendo que o índice de sobras está acima do recomendado pela literatura em que este estudo se apoiou, demonstrando uma perda considerável de alimentos. Conclusão: avalia-se que os resultados deste trabalho demonstram que o índice de RI se encontra no índice aceitável, conforme a literatura, porém, a quantidade de alimentos desprezados pela UAN e a despesa com matéria-prima ainda são excessivas, ocorrendo o desperdício de alimentos e um gasto desnecessário que poderia ser revertido em outros benefícios para pacientes com câncer. Descritores: Resto-Ingesta; Índice de Sobras; Aceitação e Desperdício; Planejamento; Unidade de Alimentação e Nutrição; Oncologia.

ABSTRACT

Objective: to evaluate the leftovers and rest-of-ingestion intake index of the Food and Nutrition Unit of the Oncology Patients Support Group. Method: this is a quantitative study in which the meals of 2664 diners were analyzed. For the analysis of the data, the tabulation was used to organize the information, and all calculations were performed according to formulas. Results: there was a surplus index of 24.4% and a rest index of 6.75 in patients and 8.29 in companions / collaborators, with the remainder index being above that recommended by the literature in which this study was supported, demonstrating a considerable loss of food. Conclusion: it is evaluated that the results of this work demonstrate that the IR index is in the acceptable index, according to the literature, however, the amount of food scorned by the FNU and the raw material expenditure are still excessive, with the waste of food and an unnecessary expense that could be reversed in other benefits for cancer patients. Descriptors: Rest-intake; food scraps; Acceptance and Waste; Planning; Food and Nutrition Unit; Oncology.

RESUMEN

Objetivo: evaluar el índice de sobras y resto-ingesta del almuerzo de la Unidad de Alimentación y Nutrición del Grupo de Apoyo a Pacientes Oncológicos. Método: se trata de un estudio cuantitativo en el que se analizaron las comidas de 2664 comensales. Se utilizó, para el análisis de los datos, la tabulación para la organización de las informaciones, y todos los cálculos se realizaron según las fórmulas. Resultados: se verificó un índice de sobras de 24,4% y un índice de restos de 6,75 en pacientes y 8,29, en acompañantes / colaboradores, siendo que el índice de sobras está por encima del recomendado por la literatura en que éste estudio se apoyó, demostrando una pérdida considerable de alimentos. Conclusión: se evalúa que los resultados de este trabajo demuestran que el índice de RI se encuentra en el índice aceptable, conforme a la literatura, sin embargo, la cantidad de alimentos despreciados por la UAN y el gasto con materia prima todavía son excesivos, ocurriendo el desperdicio de alimentos y un gasto innecesario que podría revertir en otros beneficios para los pacientes con cáncer. Descriptores: Resto de la ìngestión; Índice de Sobras; Aceptación Y Despercicio; Planificación; Unidad de Alimentación y Nutrición; Oncología.


Palavras-chave


Resto-ingesta; Desperdício; Unidade de Alimentação e Nutrição; Oncologia

Texto completo:

PDF (English) PDF

Referências


REFERÊNCIAS

COLARES, L.G.T.; FREITAS, C. M. de. Processo de trabalho e saúde de trabalhadores de uma unidade de alimentação e nutrição: entre a prescrição e o real do trabalho. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 12, 2007. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2016.

CARDOSO, R.C.V.; SOUZA, E.V.A.; SANTOS, P.Q. Unidades de alimentação e nutrição nos campos da Universidade Federal da Bahia: um estudo sob a perspectiva do alimento seguro. Revista de Nutrição, Campinas, v. 18, n. 5, p. 670, set./out. 2005.

LANZILLOTTI, H.S. et al. Aplicação de um modelo para avaliar projetos de unidades de alimentação e nutrição. Nutrição Brasil, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 11-17, 2004.

BESSA, A.P.; ARAÚJO, M.B.V. Análise da satisfação de clientes do serviço de nutrição de uma unidade de alimentação e nutrição de Uberaba MG. Cad. de pós-grad. da FAZU, Uberaba, v. 2, 2011.

FONSECA, K.Z.; SANTANA, G.R. Guia prático para gerenciamento de unidades de alimentação e nutrição.Cruz das Almas: UFRB, 2012

TEIXEIRA, S. et al. Administração Aplicada as Unidades de Alimentação e Nutrição. São Paulo: Atheneu, 2007.

FARIA, C.P.; KOPPER, A.M.; LIMA, M.G. Avaliação da aplicação dos conceitos de sobras sujas e limpas em uma empresa fornecedora de refeições coletivas. Rev. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 23, n. 170-171, 2009.

WELFER, C.; PEREIRA, S.L. Análise de desperdício em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UANs) industrial na cidade de Quedas do Iguaçú. Disponível em: http://www.fag.edu.br/graduacao/nutricao/resumos2007/Cristiane%20welfer.pdf. Acesso em: 30 ago. 2009.

ZANDONADI, H.S.; MAURÍCIO, A.A. Avaliação do índice de resto-ingesta, de refeições consumidas por trabalhadores da construção civil no município de Cuiabá, MT. Rev. Higiene Alimentar, São Paulo, v.26, n.206/207, p. 64-70, 2012.

CASTRO, M.H.C.A. Fatores determinantes de desperdício de alimentos no Brasil: diagnóstico da situação. 2002. 93 p. Monografia (Especialização em Gestão de Qualidade em Serviços de Alimentação) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2002.

SILVA, A.M. da; SILVA, C.P.; PESSINA, E.L. Avaliação do índice de resto ingesta após campanha de conscientização dos clientes contra o desperdício de alimentos em um serviço de alimentação hospitalar. Revista Simbio-Logias, Botucatu, v. 3, n. 4, jun., 2010.

PAIVA, D.C.S. et al. Avaliação do índice de resto-ingestão em uma unidade de alimentação e nutrição de um hospital oncológico após alteração no sistema de distribuição e controle de sobras. Revista Científica da FAMINAS, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 45-54, 2015.

VAZ, C.S. Restaurantes: controlando custos e aumento lucros. Brasília: LGE, 2006.

RICARTE, M.P.R., et al. Avaliação do desperdício de alimentos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição Institucional em Fortaleza – CE. Saber Científico, Porto Velho, v. 1, n. 1, p. 158-175, 2008.

MOURA, R.L.A. et al. Avaliação do índice de resto ingestão e sobras em unidade de alimentação e nutrição localizada no campus Picos do Instituto Federal do Piauí. In: CONGRESSO NORTE NORDESTE DE PESQUISA E INOVAÇÃO. 7, 2012, Palmas. Anais... Palmas: UFPI, 2012.

MARTINS, T.C.C. A; LEITE, D.G.; PINTO, A. Avaliação do índice de resto-ingestão e sobras em uma unidade de alimentação e nutrição (UAN). Revista Nutrir. [online]. v. 1, n. 4, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2016.

AMARAL, L.B. Redução de Desperdício de Alimentos na Produção de Refeições Hospitalares. Porto Alegre – RS, 2008.

CATTAFESTA, M. et al. Consumo Alimentar de Pacientes com Câncer de Mama Acompanhados em Centro Especializado em Oncologia na Grande Vitória/ES-Brasil. Revista Brasileira de Oncologia Clínica, São Paulo, v. 10, n. 38, p. 142-131, out./nov./dez. 2014.

MORAIS, S.R. et al. Nutrição, qualidade de vida e cuidados paliativos: uma revisão integrativa. Rev. Dor, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 136-140, jun. 2016.

SPINELLI, M.G.N.; CALE, L.R. Avaliação de Resíduos Sólidos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição. Rev. Simbio-Logias, Botucatu, v.2, n.1, maio 2009. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2016.

SCHMIDT, V. Análise do índice de resto-ingesta em uma Unidade de Alimentação e Nutrição do município de Ijuí –RS. 2014. 20f. Monografia (Graduação em Nutrição). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – Unijuí. Ijuí-RS, 2014.

BORGES, K. M. Avaliação do planejamento de refeições de uma UAN hospitalar privada em Porto Alegre/RS. 2015. 37f. Monografia (Graduação em Nutrição). Faculdade de Nutrição, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, 2015.

HENRIQUES, S. Avaliação e Controlo de Desperdícios Alimentares numa Instituição de Apoio à Terceira Idade. 2013. 88f. Dissertação (Mestrado). Faculdades de Ciências de Nutrição e Alimentação. Universidade do Porto, Porto, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2016.

CABRAL, D. D.; RODRIGUES, D. N.; BRUM, J. P. de. Avaliação do índice de resto ingesta e excedente de produção de alimentos em um serviço de alimentação hospitalar após campanha contra desperdício. In: SALÃO DE ENSINO E DE EXTENSÃO UNISC, 04, 2013. Santa Cruz do Sul. Anais... Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2016.

GUIZZO, F.M. et al. Resto-ingesta de uma unidade de alimentação e nutrição (UAN) da cidade de São Marcos –RS. In: CONGRESSO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FSG. 03, 2015. Caxias do Sul/RS. Anais...Caxias do Sul: Faculdade da Serra Gaúcha, 2015.

SILVA, A.P.S. et al. Intervenção educativa no controle de restos em Unidade de Alimentação e Nutrição. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, 2016.

FERREIRA, J.A. et al. Avaliação da sobra limpa e resto ingesta de um CEINF em Campo Grande – MS. Ensaios e Ciências: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, São Paulo, v. 16, n. 1, p.83-84, 2012.

IANISKI, V.B.; IANISKI, L.B.; VIEIRA, E.L. Análise do índice de resto - ingesta em uma Unidade de Alimentação e Nutrição. In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNIJUI, 23, 2015. Ijuí. Anais... Ijuí: Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, 2015.

BRITO, L.F.; BEZERRA, V.M. Avaliação qualitativa do cardápio. Alim. Nutr. Braz. J. Food Nutr., v. 24, n. 2, p. 153-158, abr./jun. 2013.Disponível em: . Acesso em: 25nov. 2016.

RODRIGUEZ, A.C. et al. Análise do índice de resto-ingestão e de sobras de uma UAN localizada no município de São Paulo-SP. Rev. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 24, n. 184/185, maio-jun. 2010.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO). Food Wastage footprint: Impacts on natural resources. Roma, 2013.

LEITE, D. Avaliação do índice de resto-ingestão e sobras em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN). Revista Nutrir, [online]. v. 1, n. 4, 2015.

CARMO, S.O.; LIMA, T.P. Avaliação do índice de sobras limpas em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) institucional na cidade de Campo Grande-MS.Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, São Paulo, v. 15, n. 6, p. 9-20, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2019.238574



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

 doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios