ANÁLISE DA CARTOGRAFIA SOCIAL NA AUTORREPRESENTAÇÃO DAS COMUNIDADES TRADICIONAIS E O CONFLITO DO DESENVOLVIMENTO

Girlan Cândido Silva, Claudio Ubiratan Gonçalves

Resumo


Os territórios das comunidades tradicionais tem sido frequentemente alvo de cobiça e disputa provocado pelo avanço do grande capital, detentor de terras para expansão de suas fronteiras, deixando-as vulneráveis tanto devido à ação deste processo capitalista bem como com a ausência de políticas estatais voltadas para a defesa destes territórios. A cartografia social vem de certa forma suprir esta necessidade, visto que, com o processo autorrepresentativo referenciado, tais comunidades podem ser “vistas” e reconhecidas no documento mapa, dando-lhes assim subsídios para que haja a resistência e permanência em seus territórios.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES