AUTISMO, ESCOLA E INCLUSÃO: UMA EXPERIÊNCIA EXITOSA EM JABOATÃO DOS GUARARAPES

Priscila de Cássia da Silva Ramos, Milena Lopes da Silva Ferreira

Resumo


O autismo é compreendido como um transtorno neurológico, caracterizado por uma tríade, ou seja, comprometimentos em três áreas específicas: comunicação, habilidade social e comportamento, dessa forma, a inclusão de crianças com autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA) tem sido bastante discutida em variados contextos (MATTOS E NUEMBERG, 2011). Nessa perspectiva, acreditamos que a escola é um excelente local para promover a inclusão social e educacional dessas crianças. Assim, ao longo desta pesquisa descreveremos o caminho que percorremos para a inclusão de uma criança com autismo na educação infantil de uma escola da rede pública municipal de Jaboatão dos Guararapes, bem como os avanços e as dificuldades encontradas neste processo. Essa pesquisa foi realizada no ano de 2018, o referido aluno possuía 5 (cinco) anos, encontrava-se matriculado na turma do 2º ano da 2ª etapa, no turno da manhã. Desde o início do ano letivo em andamento nos foi apresentado o seu laudo, datado de Maio/2017 sob a responsabilidade de Neurocirurgião Pediátrico. Segundo o Laudo, o estudante tem Transtorno do Espectro Autista – TEA associado à Deficiência Intelectual (CID – 10: F84.0 + F79.1). No decorrer de nossa experiência profissional, foi comum vermos alunos com deficiência dentro das salas de aula, dispersos, alheios ao que estava acontecendo com os demais alunos ou simplesmente “esquecidos” pelos docentes responsáveis pela turma. Essa realidade é o que podemos chamar de “integração escolar”. Ao pensarmos em integração temos a ideia de preparar o aluno com deficiência para a sala de aula regular. Ou seja, integrar é oferecer ao aluno com deficiência a oportunidade de transitar no ambiente escolar, o que segundo Mantoan (2003) nos quer dizer que “... a escola não muda como um todo, mas os alunos têm de mudar para se adaptarem às suas exigências”. No entanto, a realidade da inclusão escolar é bem diferente. A inclusão verdadeira deve estar no centro da política educativa de um país, e a escola deve estar completamente envolvida nesse processo, valorizando a diversidade e pensando estratégias para garantir oportunidades educacionais para todos, contribuindo para um ensino democrático (MITTLER, 2003; SASSAKI, 1997). Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo discutir a inclusão escolar da criança com autismo; refletir sobre a relação família e escola, bem como explorar as estratégias pedagógicas para a inclusão da criança com autismo, fornecendo assim subsídios teóricos e metodológicos para profissionais que atuam na área educacional e que sentem dificuldades em desenvolver um trabalho exitoso junto às crianças com autismo

Texto completo:

PDF

Referências


GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. “Inclusão Escolar: O que é?”. In: Inclusão Escolar – O que é? Por quê? Como Fazer?. Campinas, 2003.

MATTOS, Laura Kemp de; NUEMBERG, Adriano Henrique. Reflexões sobre a inclusão escolar de uma criança com diagnóstico de autismo na educação infantil. Revista Educação Especial – 39 – 2011;

MITTLER, Peter. Educação Inclusiva: contextos sociais. Tradução Windyz Brazão Ferreira. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão. Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)