NO CHÃO DA ESCOLA: DIFICULDADES E BARREIRAS PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Edmilton Amaro da Hora Filho

Resumo


Realizamos o presente trabalho com o intuito de identificar, através do Diário, como e até que ponto a escola negligencia, enquanto direito social, o acesso e permanência com qualidade, dos alunos com deficiência, em seus diferentes espaços de convivência. A unidade de ensino pesquisada que é a Escola Municipal Albenice Maria da Silva, localizada no bairro de Dois Carneiros, Jaboatão dos Guararapes – PE. Sabendo que, o Diário de campo é um instrumento muito importante para a atividade de observação, neste caso, a escolar. Tratando-se de uma escrita não somente sobre o objeto observado, mas também de como o observador se percebe, como atua, quais suas impressões e questionamentos e de como relaciona essas novas aprendizagens e experiências com sua formação docente e com a teoria estudada. Assim, nos propomos a relatar impressões e questionamentos de como se relacionam as novas aprendizagens e experiências com o nosso processo formativo. Bem como, relacionando com as novas aprendizagens e experiências com a teoria estudada para, por fim, construir uma visão sobre o contexto escola.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Brasília, 9 de janeiro de 2003; 182º da Independência e 115º da República. LEI Nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo-SP, 1997.

acesso em 26 de abril de 2018 às 4h.

< http://populacao.net.br/populacao-dois-carneiros_jaboatao-dos-guararapes_pe.html> acesso em 26 de abril de 2018 às 4h.

acesso em 26 de abril de 2018 às 4h.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)