O RESGATE À CIDADANIA INFANTO-JUVENIL: EDUCAÇÃO SOCIAL NA PERIFERIA DO RECIFE

Maria Eduarda Rodrigues Fernandes de Araújo, Taynar Nascimento de Andrade, Viviane de Bona

Resumo


A educação não formal é sistematicamente tida como o modelo educacional que não possui caráter acadêmico, portanto, se atém a temáticas ligadas à natureza social. Gohn (2010) destaca que essa educação engloba diversas dimensões sociais como: a capacitação de indivíduos para o campo trabalhista, para atividades comunitárias voltados para a resolução de problemas daquela área, incitando habilidades críticas que subsidiem a visão de mundo do indivíduo de forma compreensiva, dentre outros. É geralmente ministrada em organizações e movimentos sociais. Assim, assume papel fundamental na construção social do indivíduo, que é ajudar na formação da criticidade individual e coletiva. É nessa perspectiva que nos propomos a uma investigação que partiu da seguinte problemática: Como se dá o processo de ensino não-formal infantil da cidadania e o resgate da infância, na comunidade carente do Coque (Recife), a partir de uma Organização Não-Governamental (ONG)? Tendo como pressuposto que a construção da cidadania é fundamental para a socialização do indivíduo, tivemos como objetivo compreender como as atividades da ONG A Casinha possibilitam a construção da cidadania pelas crianças da comunidade do Coque


Texto completo:

PDF

Referências


CORTELLA, Mario Sergio. Ética e Vergonha na cara. São Paulo: Papirus 7 mares, 2014. FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila. GOHN, Maria da Glória Marcondes. Educação não-formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010. GOLDENBERG, M. A arte de pesquisa. Rio de Janeiro: Record, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)