Emergência e desafios da Sociologia no Brasil e em África: uma comparação entre as perspectivas teóricas de Florestan Fernandes e Elísio Macamo

Aristeu Portela Júnior

Resumo


Resumo

A posição não central ocupada pela América Latina e pela África nas relações intelectuais em nível global conforma certas singularidades da produção do conhecimento nessas regiões, impondo tanto limitações quanto possibilidades de desenvolvimento crítico. O presente artigo busca desenvolver tais problemáticas a partir de dois momentos. De um lado, efetua uma discussão dos condicionantes sociais do processo de emergência da sociologia no Brasil e em África, propondo, para tanto, uma retomada das análises do brasileiro Florestan Fernandes e do moçambicano Elísio Macamo, sociólogos que dedicaram linhas preciosas à questão em pauta. De outro lado, numa análise comparativa das perspectivas dos dois autores, problematiza alguns desafios que se colocam hoje à sociologia produzida nessas duas regiões. O artigo aponta, contra perspectivas que advogam um pensamento “autóctone”, que a sociologia (e a produção intelectual, em geral será frutífera se tiver em mente um diálogo aberto com as tradições particulares de cada nação e com aquilo que é produzido globalmente; e que os trabalhos de Fernandes e Macamo, nesse sentido, são expressões concretas do que a sociologia pode alcançar quando expande seus olhares para além de limites nacionais.

 

Palavras-Chave

Sociologia. Brasil. Moçambique. Florestan Fernandes. Elísio Macamo.

 

_____________________________________________________________

Abstract

The non-central position occupied by Latin America and Africa in global intellectual relations shapes certain singularities of the production of knowledge in these regions, imposing both limitations and opportunities for critical development. This article tackles two aspects of this singularity. First, we discuss the social conditions of the process of emergence of sociology in Brazil and Africa, using the work of two sociologists who have contributed with important insights on this issue, namely, Florestan Fernandes and Elísio Macamo. Second, this article discusses some challenges for the contemporary sociology produced in Brazil and Africa using a comparative analysis of the perspectives of these two authors. This article points out, in contrast to perspectives that prioritize a “native” way of thinking, that sociology (and intellectual production in general) will be fruitful if one bears in mind an open dialogue between particular traditions of each nation and what is produced globally. The works of Fernandes and Macamo are concrete expressions of that sociology which can be achieved when it looks beyond national boundaries.

 

Keywords

Sociology. Brazil. Mozambique. Florestan Fernandes. Elísio Macamo.


Texto completo:

HTML

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427