MEDO, FETICHE E ESPETACULARIZAÇÃO NA POLÍTICA DE JUVENTUDE EM PERNAMBUCO

Marcílio Dantas Brandão

Resumo


A menção à participação popular é recorrente na administração pública e tem sido empregada no que muitos gestores chamam de “construção da política de juventude”. Sob esta constatação, investiguei o projeto “Dialogando: o governo do Estado ouvindo os jovens pernambucanos”, realizado entre os meses de julho e agosto de 2007 com o objetivo de produzir um diagnóstico da condição juvenil e colher subsídios para a dita política em Pernambuco. Refleti sobre as experiências vividas durante o projeto, associando análise de documentos do governo estadual e informações coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas. Os resultados da pesquisa revelam grande diferença entre as demandas populares e o orçamento público, bem como sinalizam efeitos que ultrapassam os objetivos explícitos no discurso governamental. Isto me faz convergir com críticos que apontaram o fetiche e a espetacularização da participação popular em uma política que se erigiu sob o signo do medo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427