DIÁLOGOS POSSÍVEIS EM CAMPOS INTERCAMBIÁVEIS: Florestan Fernandes e os Estudos de Folclore no Brasil

Wilson Rogério Penteado Júnior

Resumo


Neste artigo, busca-se retomar a questão fronteiriça que marca a relação entre ciências sociais e Folclore a partir das contribuições dos textos produzidos por Florestan Fernandes entre os anos de 1944 e 1962, posteriormente reunidos no livro O Folclore em Questão, publicado nos anos de 1970. Especialmente, interessa lançar um olhar sobre como, ao buscar estabelecer fronteiras, Florestan Fernandes convida cientistas sociais e folcloristas ao diálogo, dentro dos limites e especificidades de cada campo, propondo como possível caminho frutífero a interdisciplinaridade. O tema envolvendo a relação entre os campos institucionais das ciências sociais e do Folclore é profundamente complexo e abre para uma série de questões investigativas. Este artigo, especificamente, busca evidenciar os aspectos propositivos que o sociólogo paulista endereçou ao folclore, entendendo-o como disciplina humanística.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427