CONSTITUIÇÃO ENCRIPTADA E DESCONSTRUÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO NO BRASIL: EXAME DAS REFORMAS TRABALHISTAS A PARTIR DA ANÁLISE CRÍTICA DA TEORIA DA ENCRIPTAÇÃO DO PODER

Hugo Cavalcanti Melo Filho, Everaldo Gaspar Lopes De Andrade

Resumo


O texto se insere no campo de estudo do Direito Constitucional Crítico, especificamente da Teoria da Encriptação do Poder. Utiliza-se o método dialético, considerado como o mais adequado à interpretação dos fenômenos sociais, a partir da compreensão materialista da história. O objetivo do estudo é examinar as reformas trabalhistas no Brasil, a partir da análise crítica da Teoria da Encriptação do Poder. Escrutinam-se a crítica marxiana da modernidade e outros quadrantes da filosofia moderna encarregada de estabelecer a crítica da modernidade (pós-moderna, pós-estruturalista), a fim de descortinar a maneira pela qual a burguesia se constituiu em classe e universalizou a forma jurídica que rege a vida humana. Sustenta-se que a teoria da encriptação do poder se desenvolve a partir de padrões analíticos que se aproximam das versões pós-estruturalistas da crítica à modernidade. Constata-se que, por tal vinculação, a teoria não está apta a explicar as transformações normativas laborais havidas no atual quadro de ultraliberalismo global, nomeadamente a desconstrução do Direito do Trabalho no Brasil. Conclui-se que a teoria  estaria melhor estruturada a partir de uma aproximação com o conceito de ideologia-hegemonia, totalidade orgânica contraditória e da consciência da luta de classes.


Palavras-chave


marxismo; pós-modernismo; pós-estruturalismo; encriptação; emancipação

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. A Transformação da Filosofia: seguido de Marx e Lênin perante Hegel. São Paulo: Edições Mandacaru, 1989.

________. Ideologias e Aparelhos Ideológicos de Estado (Notas para uma investigação). In: ZIZEK, Slavoj (org). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013, pp. 105-142.

ALTHUSSER, Louis et BADIOU, Alain. Materialismo Histórico e Materialismo Dialético. São Paulo: Global Editora, 1979.

ANTUNES, Marcus Vinicius Martins. Engels e o Direito. In CENTRO DE ESTUDOS MARXISTAS. Fios de Ariadne: ensaios de interpretação marxista. Passo Fundo: UPF Editora, 1999.

BAUMAN, Zygmunt. Ética Pós-moderna. São Paulo: Paulus, 1997.

BENSAÏD, Daniel. Marx, manual de instruções. São Paulo: Boi Tempo, 2013.

BUSTAMENTE, Thomas da Rosa. Teoria do Direito e Decisão Judicial. In Temas de Teoria da Argumentação Jurídica. Rio de Janeiro-São Paulo-Recife: Renovar, 2008.

DARDOT, Pierre et LAVAL Christian. A Nova Razão do Mundo. Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

________. O Comum. Ensaios sobre a revolução do século XXI. São Paulo, Boitempo, 2017.

DELEUZE, Gilles et GUATTARI, Félix. Mil Platôs. Capitalismo e esquizofrenia, vol. 3. São Paulo: Ed. 34, 1996.

EDELMAN, Bernard. A legalização da Classe Operária. São Paulo: Boitempo, 2016.

________. La Práctica Ideológica del Derecho. Elementos para uma teoria marxista del derecho. Madrid: Editorial Tecnos, 1980.

ENGELS, Friedrich et KAUTSKY, Karl. O Socialismo Jurídico. São Paulo: Ensaio, 1991.

FLORES, Joaquín Herrara. Teoria Crítica dos Direitos Humanos. Os direitos humanos como produtos culturais. Rio de Janeiro, Editora Lumen Juris, 2009.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

________. Vigiar e Punir. História da Violência nas Prisões. Petrópolis: Vozes, 1991.

HARDT, Michael et NEGRI, Antonio. Bem-estar comum. Rio de Janeiro: Record, 2016.

________. Império. Rio de Janeiro: Record, 2001.

HARVEY, David. O Enigma do Capital e as Crises do Capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

________. Cidades Rebeldes. Do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

HINCAPÍE, Gabriel Méndez et RESTREPO, Ricardo Sanín. La Constitución Encriptada: Nuevas formas de emancipación del poder global. Revista de Derecho Humanos y Estudios Sociales. Ano IV, n. 8 Jul-Dec. 2012.

HOBSBAWM, Eric. J. A Era do Capital – 1848-1875. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado. Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

________. Crítica e crise: uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto, 1999.

LJUNGDAL, Arnold. A visão de mundo do marxismo. Brasília: Ed. Alva, 2001.

MARX, Karl. O Capital, Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013.

________. Operário Alemão. In ANTUNES, Ricardo (Org.). A Dialética do Trabalho. Escritos de Marx e Engels. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

NAVES, Márcio Bilharinho. A Questão do Direito em Marx. São Paulo: Outras Expressões; Dobra Universitária, 2014.

NEVES, Marcelo. Transconstitucionalismo. São Paulo: WMF/Martins Fontes, 2009.

________. Entre Têmis e Leviatã: uma relação difícil. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

PELBART, Peter Pál. Vida e Capital. Ensaios de biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2011.

________. Ensaios do Assombro. São Paulo: N-1 edições, 2019.

POLITZER, Georges. Princípios Elementares de Filosofia. São Paulo: Editora Moraes, 1987.

POULANTZAS, Nicos. O Estado, O Poder, o Socialismo. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

________. Poder político e Classes Sociais. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

SAFATLE, Vladimir; JUNIOR, Nelson da Silva; DUNKER, Christian (orgs.). Patologias do Social. Arqueologias do sofrimento psíquico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

SANTOS, Boaventura de Souza. Os processos de globalização. In: SANTOS, Boaventura de Souza (Org.) A Globalização e as Ciências Sociais. São Paulo: Cortez, 2011, pp.25-98.

STRECK Lênio. Hermenêutica Jurídica e(m) Crise. Uma exploração hermenêutica da construção do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2014.

TIQQUN. Contribuição para a guerra civil em curso. São Paulo: N-1 edições, 2019

WARAT, Luís Alberto. Mitos e Teorias na Interpretação da Lei. Porto Alegre: Síntese, 1979.

________. O Lugar da fala: digna voz da majestade. In: FALCÃO, Joaquim (org.). Pesquisa Científica e Direito. Recife: Editora Massangana, 1983, p. 77-88.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 HUGO CAVALCANTI MELO FILHO, EVERALDO GASPAR LOPES DE ANDRADE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

DIRETÓRIOS, PORTAIS E INDEXADORES:

 

 

 

  vLex Brasil

 

 

AVALIADO PELO

 

INSTITUCIONAL