Dos tempos afortunados da epopeia ao mundo desencantado da modernidade: a presença do 'eu' e do 'outro' na literatura

José Ronaldo Batista de Luna

Resumo


O mito, e também a presença do simbolismo bíblico, se inscrevem como subjectum da literatura ocidental. Na epopeia, herói e mundo formam a mesma esfera. Por outro lado, na modernidade, o romance expressa a inadequação do indivíduo no mundo. O Don Quijote é a grande objetivação desse período, a forma que abriga a construção de um herói singular, problemático, jamais coletivo. E também a expressão da literatura como possibilidade de diálogo do eu e do outro, num processo de singularização em que o texto permite a abertura e a cumplicidade do leitor.

Palavras-chave: Epopeia, Modernidade, Romance, Subjetividade.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. A posição do narrador no romance contemporâneo. In: Notas de literatura I. Trad. Jorge de Almeida. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2008.

BARBOSA, João Alexandre. As ilusões da modernidade. In: As ilusões da modernidade. São Paulo: Perspectiva, 2009.

CERVANTES, Miguel de. Don Quijote de la Mancha. Edición del IV Centenario. Real Academia Española. Asociación de Academias de la lengua española. San Pablo: Santillana Ediciones Generales, 2004.

CORTÁZAR, Julio. Rayuela. Edición crítica de Julio Ortega & Saúl Yurkievich. 2ª ed. Madrid; Paris; México; Buenos Aires; São Paulo; Rio de Janeiro; Lima: ALLCA XX, 1996.

COSTA LIMA, Luiz. A questão da narrativa. In: Pensando nos trópicos. Rio de Janeiro: Rocco, 1991. P. 138-148.

DIDEROT, Denis. Jacques, o fatalista, e seu amo. Trad. Magnólia Costa Santos. São Paulo: Nova Alexandria, 2001.

FRYE, Northrop. Crítica arquetípica: teoria dos mitos. In: Anatomia da crítica. Trad. Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Cultrix, 1984.

FUENTES, Carlos. Machado de la Mancha. México: Fondo de Cultura Económica, 2001.

HOMERO. Odisseia. Edição bilíngue; trad. Trajano Vieira. São Paulo: Editora 34, 2012.

HUIDOBRO, Vicente. Altazor. Temblor de cielo. Edición de René de Costa. 16ª ed. Madrid: Cátedra, 2009.

JOLLES, André. O mito. In: Formas simples. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Cultrix, 1976.

KUNDERA, Milan. El arte de la novela. Madrid: Tusquets, 2000.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. Trad. José Marcos M. de Macedo. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.