O ENUNCIADO “EU NÃO TENHO MEDO DA MUDANÇA” E SUA RELAÇÃO COM A MEMÓRIA DO DIZER

Ercília Ana Cazarin

Resumo


Apresentamos um exercício de leitura do enunciado EU NÃO TENHO MEDO DA MUDANÇA, proferido pela atriz Carmem Silva, em outubro/2004 e veiculado no horário eleitoral gratuito, segundo turno da campanha para prefeito de Porto Alegre. No texto, sob a ótica da análise do discurso, articulamos as noções de língua, de leitura e de interpretação. A primeira é base para que o discurso ocorra e pressupõe um sujeito que enuncia afetado pelo inconsciente e pela ideologia. A leitura é entendida como um processo de produção de sentido e, a interpretação, como gesto que remete à memória do dizer.

Texto completo:

PDF

Referências


COURTINE, Jean Jacques. 1981. Quelques problèmes theoriques et

methodologiques en analyse du discours; à propos du discours communiste adressé aux chrétiens. Langages (62), juin.

COURTINE, Jean Jacques e MARANDIN, Jean Marie. Quel objet pour l'analyse de discours? In: Matérialités Discursives. Actes du Colloque, avril, 1980. Paris X - Nanterre Lille. Presses universitaires de Lille, 1981.

FOUCAULT, Michel. 1972. Arqueologia do Saber. Tradução de Luiz Felipe

Baeta Neves. Petrópolis: Vozes.

INDURSKY, Freda. 1997. A fala dos quartéis e as outras vozes. Tese de

Doutoramento, Campinas, 1992, publicada pela Editora da UNICAMP.

______. 1998. O sujeito e as feridas narcísicas dos lingüistas. In: Gragoatá, n. 5. Niterói, RJ: EdUFF, 2º sem.

______. 2001. Da heterogeneidade do discurso à heterogeneidade do texto e suas implicações no processo da leitura. In: ERNST-PEREIRA, Aracy; FUNCK, Susana Bornéo (orgs.). A leitura e a escrita como práticas discursivas. Pelotas: Educat.

LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina. 2000. Da ambigüidade ao equívoco: a resistência da língua nos limites da sintaxe e do discurso. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. 1987. A linguagem e o seu funcionamento. Campinas: Pontes.

______. 1993. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 2. ed.,

Campinas: UNICAMP.

______. 1996. Interpretação; autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes.

______. 1999. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes.

______. 2001. Discurso e Texto: formulação e circulação dos sentidos.

Campinas: Pontes.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso (1975). Tradução de Eni Pulcinelli Orlandi...[et.al.].Campinas, SP: Ed. da UNICAMP, 1988.

______. 1990a. A análise do Discurso: três épocas. Tradução de Jonas de A. Romualdo. In: GADET & HAK (org). Por uma análise automática do discurso. Campinas: UNICAMP.

______. 1990b. O discurso: estrutura ou acontecimento? Tradução de Eni Pulcinelli Orlandi. Campinas: Pontes.

______. 1999. Papel da memória. Tradução de José Horta Nunes. In:

ACHARD, Pierre...[et al]. Papel da Memória. Campinas: Pontes.

RODRIGUEZ, Carolina. 1998. Sentido, interpretação e história. In: ORLANDI, Eni P. (org.). A leitura e os leitores. Campinas: Pontes.

SAUSSURE, Ferdinand de. 1988. Curso de Lingüística Geral. 14. ed. São

Paulo: Cultrix.

SERRANI, Silvana M. 1993. A linguagem na pesquisa sociocultural: um estudo da repetição na discursividade. Campinas: UNICAMP.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.