Arte e política no Recife pré-1964: o Teatro Popular do Nordeste de Hermilo Borba Filho e de Ariano Suassuna

Luís Augusto da Veiga Pessoa Reis

Resumo


Este artigo propõe uma breve reflexão sobre as relações entre a arte e a política, enfocando um momento particularmente tenso e instigante na história do teatro em Pernambuco: a montagem da peça A bomba da paz, escrita e dirigida por Hermilo Borba Filho, em 1962, pelo Teatro Popular do Nordeste (TPN), grupo idealizado pelo próprio Hermilo, em parceria com o dramaturgo Ariano Suassuna. 


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Leda. Depoimento. In MORGANTI, Vera (org.). Confissões do amor e da arte. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994.

BACCARELLI, Milton (org.). O teatro em Pernambuco: trocando a máscara. Prefácio de José Mário Austregésilo. Recife: Fundarpe, 1994.

BORBA FILHO, Hermilo. Depoimento. In CORREYA, J. et ALVES, L. (orgs.) A palavra de Hermilo. Prefácio de Ricardo Noblat. Recife: Cepe, 2007.

______. Deus no pasto / Quarto volume da tetralogia Um cavalheiro da segunda decadência. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1972.

COELHO, Germano. MCP – História do Movimento de Cultura Popular. Recife: Edição do autor, 2012.

MENDOÇA, Luiz. Teatro é festa para o povo. In Revista Civilização Brasileira – Caderno especial nº2: Teatro e realidade brasileira, julho de 1968. Rio de Janeiro: Editora Civilização brasileira.

VERAS, Dimas B. Sociabilidades letradas no Recife: a revista Estudos Universitários (1962-1964). Prefácio de Flávio Weinstein Teixeira. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.