“Se a base da educação é a mesma, as oportunidades também serão”? A propaganda sobre educação no governo Temer

Ronaldo Adriano de Freitas, Silmara Dela Silva

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão teórico-analítica acerca do funcionamento da propaganda governamental sobre educação no Brasil, durante a presidência de Michel Temer. O corpus de análise é constituído por uma peça publicitária a respeito da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), com ampla circulação na mídia, em 2017. Tomando como ponto de partida reflexões propostas por Pêcheux acerca do funcionamento das propagandas de governo na formação social capitalista, as análises apontam como, na referida propaganda, se constitui um imaginário de democracia e cidadania relacionados à BNCC, tomada como capaz de reverter os quadros de desigualdade social no país.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Secom. Execução Contratual de Publicidade. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2018.

______. Secretaria-Geral. Instrução Normativa nº 1, de 27 de julho de 2017. Diário Oficial da União. Seção 1, nº 144. 28 jul. 2017. 2017c. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

______. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, MEC/CONSED/ UNDIME, 2017a. Disponível em: . Acesso em 18 jun. 2018.

______. Instrução normativa Secom nº 5, de 6 de junho de 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

______. LDB. Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996. Disponível em < www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 25 jun. 2018.

FREITAS, R.A. Língua e ensino: objetos paradoxais: a contradição no ensino de língua portuguesa. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Letras. Niterói-RJ: 2015.

MATTOS, H.; BESSONE, T.; MAMIGONIAN, B.G. (Orgs.). Historiadores pela democracia: o golpe de 2016 e a força do passado. São Paulo: Alameda, 2016.

MARSIGLIA, A.C.G.; PINA, L.D.; MACHADO, V.O.; LIMA, M. A Base Nacional Comum Curricular: um novo episódio de esvaziamento da escola no Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, v. 9, p. 107-121, 2017.

ORLANDI, E. Análise de discurso. Princípios e procedimentos. 3 ed. Campinas: Pontes, 2001.

PÊCHEUX, M. [1979]. Foi “propaganda” mesmo que você disse?. Trad. Eni Orlandi. In: ORLANDI, Eni (Org.). Análise de Discurso: Michel Pêcheux. 3. ed. Campinas, SP: Pontes, 2012a. p.73-92.

______. [1975]. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 3 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1997a.

______. [1969]. Análise Automática do Discurso (AAD-69). In: GADET, Françoise; HAK, Tony. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Trad. Bethania Mariani [et al.]. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997b. p. 61-161.

PFEIFFER, C.R.C. Cidade e sujeito escolarizado. In: ORLANDI, E.P. (Org.). Cidade atravesada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas-SP, Pontes Editores, 2001. p. 29-33.

PINHO, J.B. Propaganda institucional: usos e funções da propaganda em relações públicas. São Paulo: Summus Editorial, 1990.

PMDB. Uma ponte para o futuro. 2015. Disponível em (https://www.fundacaoulysses.org.br/wp-content/uploads/2016/11/UMA-PONTE-PARA-O-FUTURO.pdf). Acesso em 20 jul. 2018.

VERDÉLIO, A. Governo Temer recebe aprovação de 6% da população; 74% desaprovam. Agência Brasil. 20 dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

Corpus:

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. 2017b. Youtube. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2018.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.