Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Sentidos em disputa na lógica das competências

Luciana Nogueira, Juciele Pereira Dias

Resumo


Filiadas à perspectiva teórico-metodológica da Análise de Discurso, analisamos o processo de produção de sentidos de 'competência', buscando compreender os modos de individuação do sujeito, na/pela língua, levando-se em conta o político, em uma formação social neoliberal significada, nesse caso, na discursividade do mercado-lógico. Ao lado dos efeitos de sentidos de 'competência', a questão do comum (unidade) e do diverso (diversidade) é o que norteia as análises do corpus, que é constituído por recortes do texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC - 2017).

Texto completo:

PDF

Referências


Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Terceira versão. Ministério da Educação: Brasil, 2017.

BARTHES, Roland. (1978). Aula: aula inaugural da cadeira de semiologia literária do Colégio da França, pronunciada dia 7 de janeiro de 1977/ Roland Barthes. Tradução de Layla Perrone-Moisés. 15 ed. São Paulo: Cultrix, 2007.

DARDOT, Pierre. e LAVAL, Christian. La Nouvelle Raison du Monde: essai sur la société néolibérale. Paris: La Découverte, 2009.

DEL-REY, Angelique. À l’école des compétences: De l’éducation à la fabrique de l’élève performant. La Découverte, 2009.

GADET, Françoise; PÊCHEUX, Michel. (1981). A língua inatingível: o discurso na história da lingüística. 2 ed. Tradução de Bethania Mariani e Maria Elizabeth Chaves de Mello. Campinas: Editora RG, 2010.

HUYGHE, F.-R. La Langue de coton, Paris, Laffont, 1991.

KUENZER, Acacia Zeneida. Trabalho e Escola: a flexibilização do ensino médio no contexto do regime de acumulação flexível. Educ. Soc., Campinas, v. 38, n. 139, p. 331-354, Junho 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302017000200331&lng=en&nrm=iso Acesso em: 30 Oct. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/es0101-73302017177723.

JORNAL DA UNICAMP - Edição Web. Base Curricular é conservadora, privatizante e ameaça autonomia, avaliam especialistas - Processo de construção da BNCC é marcado por divergências. Seg 04 dez 2017 - ESPECIAL. Disponível em: http://www.unicamp.br/unicamp/ju/noticias/2017/12/04/base-curricular-e-conservadora-privatizante-e-ameaca-autonomia-avaliam Acesso: 20 jul 2018.

LECERCLE, J.-J. Une Philosophie Marxiste du Langage. Actuel Marx, Confrontation. Paris: PUF, Presses Universitaires de France, 2004.

MARIANI, Bethania; DIAS, Juciele Pereira. A Leitura na Educação à Distância: Perspectivas e deslocamentos do ponto de vista discursivo. In: SCHERER, Amanda; MEDEIROS, Caciane Souza. OLIVEIRA, Simone (Orgs.). Linguística de nosso tempo: teorias e práticas. Santa Maria: Editora UFSM. 2018.

NOGUEIRA, Luciana. Discurso, Sujeito e Relações de Trabalho na Contemporaneidade. Campinas: Pontes, 2017.

ORLANDI, Eni. Discurso e Argumentação – um observatório do político. Fórum Lingüístico, Fpolis, n.1 (73-81), jul.-dez., 1998.

ORLANDI, Eni. Discurso em Análise: sujeito, sentido, ideologia. Campinas: Pontes, 2012.

ORLANDI, Eni. Formação ou Capacitação? Duas formas de ligar sociedade e conhecimento. In: FERREIRA, E.; ORLANDI, E. (orgs.) Discursos sobre a inclusão. Niterói: Ed. Intertextos. 2014.

PÊCHEUX, Michel. [1975]. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 2ª ed., Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

PERROT, M.-D. “Mondialisation du non -sens”, dans Recherches, nº 20, Paris, La Découverte / MAUSS, 2002.

PFEIFFER, Claudia Castellanos. Políticas Públicas de Ensino. In: Orlandi, E. (Org.). Discurso e políticas públicas urbanas: a fabricação do consenso. Campinas: Editora RG, 2010. p. 85-100.

SILVA, Mariza Vieira da. Uma Base Nacional Curricular Comum para a leitura nas escolas brasileiras: a política e o político. In: Giovanna G. Benedetto Flores; Solange Maria Ledo Gallo; Suzy Lagazzi; Nádia Régia Maffi Neckel; Claudia Castellanos Pfeiffer; Mónica G. Zoppi-Fontana. (Org.). Análise de discurso em rede: cultura e mídia. 1ed.Campinas: Pontes Editora, 2017, v. 3, p. 315-332.

SILVA, MAriza Vieira da. Estado, escola, língua: unidades divididas. In: Orlandi, E. et al. (orgs.) Linguagem, instituições e práticas sociais. Pouso Alegre: Univás, 2018. p. 103-117.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.