De a sesta do sr. abade: análise crítica

Lídia Maria Machado

Resumo


Em A Velhice do Padre Eterno, ocupar-se-á o presente estudo dos elementos lexicais que remetem para a luz e sua simbologia sobretudo no poema “A Sesta do sr. Abade”, tendo em conta a origem geográfica de Guerra Junqueiro. Procurar-se-á perceber o laço com Freixo de Espada à Cinta presente na poesia do autor, com o seu pensamento e a filosofia de vida através da análise do poema.

Palavras-chave: Guerra Junqueiro. Poesia. Luz. Pensamento.

Texto completo:

PDF

Referências


GAMA, Manuel. O sagrado e o religioso em Guerra Junqueiro. In: Colóquio Guerra Junqueiro e a Modernidade, Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, 3 e 4 Janeiro 1997.

JÚDICE, Nuno. Poesia de Guerra Junqueiro. Seara Nova/ Editorial Comunicação, 1981.

JUNQUEIRO, Abílio Guerra. A Velhice do Padre Eterno (com um estudo de Camilo Castelo Branco). Porto: Lello & Irmão Editores, 1967.

______. Prosas Dispersas, Porto: Livraria Chardon, 1921.

PEREIRA, Henrique Manuel. Guerra junqueiro e as paródias: A velhice da Madre Eterna. In: Humanística e Teologia, 19, 1998.

Pereira, Henrique Manuel. Raízes de um cristianismo exacerbado: o anticlericalismo de Junqueiro. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, 20, 2017.

SOUSA, Joaquim Saraiva de. Junqueiro: Poesia e Filosofia. In: Humanística e Teologia, 2002.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.