Poesia digital, apropriação e inventividade.

Flaviano Maciel Vieira

Resumo


A proposta deste artigo é refletir sobre como processos de apropriação têm sido ferramentas importantes em diversas composições das poéticas contemporâneas. Em torno das ideias de gênio não original, de Marjorie Perloff (2013), e de escrever sem escrever, de Leonardo Villa-Forte (2019), o poema multimídia Scalpoema, de Joesér Alvarez, será analisado em busca de características que vêm delineando as práticas da pós-modernidade. 


Texto completo:

PDF

Referências


MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. Tradução de Décio Pignatari. São Paulo: Cultrix, 2007.

PERLOFF, Marjorie, O gênio não original. Poesia por outros meios no novo século. Tradução de Adriano Scandolara. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2013.

RISÉRIO, Antonio. Ensaio sobre o texto poético em contexto digital. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado; COPENE, 1998.

SANTAELLA, Lúcia. “Para compreender a ciberliteratura”. Revista Texto Digital, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 337-360, jul./dez. 2012. ISSN: 1807-9288.

VILLA-FORTE, Leonardo. Escrever sem escrever. Literatura e apropriação no século XXI. Rio de Janeiro: PUC – Rio, Belo Horizonte – MG, Relicário, 2019.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.