Ecolalia, silêncio e linguagem gestual no autismo: uma reflexão para além do patológico

Elisângela Maria da Silva, Renata Fonseca Lima da Fonte

Resumo


A relação que a criança estabelece com a linguagem e com o outro é atravessada por singularidades manifestadas na aquisição da linguagem, seja em crianças autistas ou não. No caso da instauração de um quadro autístico, os modos particulares presentes na constituição subjetiva são levados ao extremo, a ponto da literatura tradicional considerar a linguagem da criança autista como mera repetição da fala do outro e excluída do processo de interação pelo discurso. Nesse sentido, objetivamos tomar a ecolalia, o silêncio e a linguagem gestual como linguagem.


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Manoel. Livro sobre o nada. Rio de Janeiro: Record, 1996.

BARROS, Isabela Barbosa do Rego; FONTE, Renata Fonseca Limada.Estereotipias motoras e linguagem: aspectos multimodais da negação no autismo. RBLA, Belo Horizonte, v. 16, n. 4, p. 745-763, 2015.

______.MELO, Maria de Fátima Vilar de; CARVALHO, Glória Maria Monteiro. Reflexões sobre a formação da linguagem no autismo. Revista FSA. Teresina, v. 10, n. 1, art. 14, p. 244-263, jan/mar, 2013.

______. Autismo e linguagem: discussão à luz da teoria da enunciação. Comunicações, São Paulo, 23(2), p. 227-232, 2011.

BUTCHER, Cynthia; GOLDIN-MEADOW, Susan.Gesture and the transition from one-to two-word speech: when hand and mouth come together.In: MCNEILL (ed.) Language and Gesture, Cambridge: Cambridge University Press, 2000, p. 235-257.

CARVALHO, Glória Maria Monteiro de. Manifestações verbais singulares da criança: um confronto com a questão da linguagem autística. 2010. Relatório de pesquisa apresentado ao CNPq.

______. O erro como diferença na trajetória linguística da criança: aquisição de linguagem e autismo. 2007. Relatório de pesquisa apresentado ao CNPq.

______.MALTA, Manoel de Lira. Notas sobre a ecolalia do autista: seu efeito de exclusão.Revista Gel, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 65-79, 2013.

______. MELO, Maria de Fátima Vilar de. Ecolalia e música: a linguagem no autismo. Revista Gel, São Paulo, v. 15, n.1, p. 63-84, 2018.

CAVALCANTE, Marianne. Rotinas interativas mãe-bebê: constituindo gêneros do discurso. Investigações (Recife), v. 21, p. 153-170, 2009.

______. Contribuições dos estudos gestuais para as pesquisas em aquisição de linguagem, Linguagem & Ensino, Pelotas, v.21, n. esp., p. 5-35, 2018. Disponível em:. Acesso em 1 de outubro de 2019.

FONTE, Renata Fonseca Lima da.et al. A matriz gesto-fala na aquisição da linguagem: algumas reflexões. In: BARROS, Isabela Barbosa do Rego. et al. Aquisição, desvios e práticas de linguagem. Curitiba: Editora CRV, p. 11-26, 2014.

FONTE, Renata Fonseca Lima da.CAVALCANTE, Marianne Bezerra Carvalho. Abordagem multimodal da linguagem: contribuições à clínica fonoaudiológica. In: MONTENEGRO, Ana Cristina; BARROS, Isabela; AZEVEDO, Nadia. (Orgs.). Fonoaudiologia e Linguística: teoria e prática. 224ed.Curitiba: Appris, 2016, v. 1, p. 205-225.

FONTE, Renata Fonseca Lima da.BARROS, Isabela Barbosa do Rego. Estereotipias motoras no funcionamento multimodal da linguagem: discussões no campo do autismo. Estudos da Língua(gem), v. 17, n. 1, p. 127-140, 2019.

KANNER, Leo. Os distúrbios autísticos do contato afetivo. In.: ROCHA, Paulina Schmidtbauer (Org.). Autismos. São Paulo: Escuta. 1997.

KENDON, Adam. The study of gesture: some remarks on its history.Recherches sémiotiques/semiotic inquiry 2, p. 45-62, 1982.

______.Language and Gesture: Unity or Duality. In: MCNEILL, D. (ed.) Language and Gesture, Cambridge University Press, 2000, p. 47–63.

______.Language’smatrix. Gesture,v. 9, n. 3, p. 355–372, 2009.

______. Reflections on the “gesture-first” hypothesis of language origins. Psychonomic Bulletin & Review, v. 24, n. 1, p. 163-170, 2017.Disponívelem:.Acesso em: 18/04/2018.

LEMOS, Cláudia Thereza Guimarães de. A sintaxe no espelho. Cadernos de estudos linguísticos. UNICAMP, Campinas, n. 10, 1986.

______. Das vicissitudes da fala da criança e de sua investigação. Cadernos de Estudos Linguísticos. v. 42, jan./jun., P. 41-69, 2002.

______. Língua e discurso na teorização sobre aquisição de linguagem. Revista Letras de Hoje, v. 30, n. 4, p. 9-28, 1995.

______. Processos metafóricos e metonímicos: seu estatuto descritivo e explicativo na aquisição da língua materna. Trabalho apresentado no The trend lectures and workshop on metaphorand analogy, Trento, Itália, 1997.

LIER-DE VITTOR, Maria Francisca de A. F. Os monólogos da criança: delírios da língua. 1994. 206 f. Tese de doutorado em Linguística. Universidade Estadual de Campinas.

LIMA, Cacilda Vilela de. REHBERG, Lucilene Lisboa. A multimodalidade da linguagem e os transtornos do espectro do autismo (TEA) num contexto terapêutico semidirigido. In. Autismo, linguagem e cognição. CAETANO, Sheila Cavalcante; LIMA-HERNANDES, Maria Célia Pereira; PAULA, Fraulein Vidigal de; RESENDE, Briseida Dogo; MÓDULO, Marcelo (Orgs.). Jundiaí: Paco, 2015.

LISPECTOR, Clarice. Água Viva. São Paulo, Circulo do livro, 1973.

MAIA, Juliana Costa. Um viés constitutivo do sujeito na terapia de linguagem com uma criança autista. 2006. 111 f. Dissertação de mestrado em Letras. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa.

MCNEILL, David. so you think gestures are nonverbal? Psychological Review, v. 92, n.3, p. 350-371, 1985.

______. Hand and Mind: What Gestures Reveal About Thought. Chicago, IL: University of Chicago Press, 1992, p. 75 – 85.

______. Introduction. In: MCNEILL, D.(ed.). Language and Gesture.Cambridge: Cambridge University Press, 2000, p. 1-10.

PORGE, Erik. Voz do Eco. Trad. Viviane Veras. São Paulo: Mercado da Letras, 2014.

QUEIROZ, Telma Corrêa da Nóbrega. Entrando na linguagem. Estilos da clínica, São Paulo, v. VIII, n. 15, p. 12-33, 2003.

QUEK, F. et al. Multimodal human discourse: gesture and speech. ACM transactions on computer-human interactions, v.9, n.3, p.171-193, 2002.

REGO, Fabiana Lins Browne. Investigando a ecolalia no autismo: há possibilidade de um novo olhar?2015. 117 f. Dissertação de mestrado em Psicologia. Universidade Federal Pernambuco. Recife.

______. Aquisição de linguagem: uma contribuição para o debate sobre autismo e subjetividade. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, 26(1), p. 12-25, 2006.

SURREAUX, L.M. A questão do silêncio na aquisição desviante de linguagem. Revista Letras de Hoje. Rio Grande do Sul. v. 36, n. 3, p. 593-599, 2001.

VIVÈS, Jean-Michel. Variações psicanalíticas sobre a voz e a pulsão invocante. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2018.






Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.