Avaliação da aprendizagem no processo de alfabetização: analisando a prática de professoras alfabetizadoras

Juliana Bezerra de Oliveira, Ana Lúcia Felix dos Santos, Caroline da Silva Cavalcanti

Resumo


O presente trabalho objetivou analisar a avaliação da aprendizagem na alfabetização, a partir da prática avaliativa de professoras em turmas do 1º ano (ciclo de alfabetização) do Ensino Fundamental. Tomando como referente a perspectiva formativa de avaliação da aprendizagem, partindo do pressuposto que aprender e praticar avaliação formativa é apreender conceitos teóricos sobre avaliação e traduzir essa aprendizagem em atos do cotidiano. Baseou-se numa investigação qualitativa, que envolveu pesquisa bibliográfica, aplicação de entrevistas e observações. Os resultados revelaram que elementos da avaliação tradicional (como a semana de prova) estão presentes no cotidiano das turmas de alfabetização, muitas vezes por orientação da escola ou por determinadas exigências avaliativas. No entanto, os professores alfabetizadores revelam um grande esforço para praticar a avaliação formativa.  

Texto completo:

7-26

Referências


ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia de; MORAIS, Artur Gomes de; FERREIRA, Andréa Tereza Brito. As práticas cotidianas de alfabetização: o que fazem as professoras. Revista Brasileira de Educação. [online]. 2008, vol.13, n.38, pp.252-264.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9/1/2001. Estabelece o Plano Nacional de Educação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2001

BRASIL. Ensino fundamental de nove anos: orientações gerais. Brasília: Ministérios da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2004.

BRASIL. Lei n. 11.114, de 16 de maio de 2005. Altera os arts. 6o, 30, 32 e 87 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 maio 2005. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11114.htm>. Acesso em: 11 mar. 2017.

BRASIL. Lei n. 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 fev. 2006. Disponível em: Acesso em: 11 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa. Currículo inclusivo: o direito de ser alfabetizado. Brasília: DF, 2012.

BONI, Valdete. QUARESMA, Silvia Jurema Quaresma. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese, Vol. 2 n.° 1 (3), janeiro/julho, 2005, p. 68-80.

BOTH, Ivo José. Avaliação planejada, aprendizagem consentida: é ensinando que se avalia, é avaliando que se ensina. 2 ed. Curitiba: Ibpex, 2008.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: ArtMed, 2001.

HAYDT, R. C. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo:Ática, 2000.

HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura visual, mudança educativa e projetos de trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

LEAL; ALBUQUERQUE; MORAIS. Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo da reflexão. In: BRASIL. Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: FNDE, Estação Gráfica, 2006.

LEAL; ALBUQUERQUE; MORAIS, A. G. Avaliação e aprendizagem na escola: a prática pedagógica como eixo de reflexão. In: BRASIL. Secretaria da Educação Básica. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Organização de J. Beauchamp, S. D. Pagel, A. R. do Nascimento. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007. p.97-108.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Cortez Editora: São Paulo, Coleção Magistério 2° Grau Série Formando Professor, 1994.

LUCKESI, Cipriano Carlos. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Pátio, Rio Grande do Sul, n.12, p. 6-11, fev/mar. 2000.

______. Avaliação da Aprendizagem. São Paulo/SP: Cortez 2011

______. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 2002.

MORAES, Dirce Aparecida Foletto de. Avaliação formativa: re-significando a prova no cotidiano escolar. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008

PERRENOUD, Philippe. Não mexam na minha avaliação! Para uma abordagem sistêmica da mudança pedagógica. In: ESTRELA, A.; NÓVOA, A.(dir.). Avaliações em educação: novas perspectives. Lisboa: Educa, 1999. p.155-173.

SILVEIRA. D. T.; CÓRDOVA, F.P. A Pesquisa Científica. In: GERHARDT, T. E; SILVEIRA, D. T. (orgs). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

SIMÕES, G. A. G. A avaliação do desempenho docente. Contributos para uma análise crítica. Lisboa. Texto Editora, 2000.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros / Magda Soares. 2. ed. 8. Reimpr, Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

SOARES, Magda. A reinvenção da alfabetização.2003. Disponível em: .Acesso em: 6 maio,2011.

SOARES, Magda. Alfabetização Linguística: da teoria à prática. Belo Horizonte: Dimensão, 2010.

VARJAL, Elizabeth. Avaliação das aprendizagens na escola inclusiva. In: CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MORENO, 1., 2007, Moreno, PE. Palestra... Moreno, PE, 2007.

VIANNA, Heraldo M. Pesquisa em Educação: a observação. Brasília: Plano Editora, 2003.

VILLAS BOAS, Benigna M. de Freitas. Avaliação formativa e formação de professores: ainda um desafio. Linhas Críticas, Brasília, v. 12, n. 22, p.1-21, mar./ jun. 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica - ISSN: 2447-6943

Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica

Colégio de Aplicação da UFPE

Endereço
Avenida da Arquitetura S/N Cidade Universitária
CEP 50740 - 550

Telefones
Secretaria: (81) 2126-8332
Direção: (81) 2126-8335