Formação de professores para ensinar os saberes das práticas corporais às crianças na educação infantil

Paula Roberta Paschoal Boulitreau

Resumo


O ensino das práticas corporais tem se constituído como elemento essencial na educação infantil para o desenvolvimento geral das crianças situadas entre 0 (zero) e 5 (cinco) anos visto que o movimento e o corpo se configuram como espaço e instrumento de manifestação da linguagem, e, portanto, da aprendizagem. Considerando tais aspectos, o estudo em voga visa discutir os saberes a serem tratados durante a formação inicial para que os professores se sintam elementarmente fundamentados para o trato das práticas corporais na educação infantil. Metodologicamente, trata-se de um estudo qualitativo de caráter exploratório realizado por meio de revisão documental e de literatura. Para análise dos dados consideramos a análise de conteúdo de Bardin (2009). Enquanto resultados, identificamos que a prática pedagógica direcionada para os conhecimentos específicos da cultura corporal precisa ser debatida no âmbito do ensino superior, bem como as características destes sujeitos aprendentes uma vez que os saberes docentes mantêm uma aproximação significativa com aquilo que pode ser ensinado como elenca Tardif (2014). Concluímos, portanto, que a prática pedagógica tem estreita relação com a formação de professores, devendo ser parte significativa do currículo dos cursos de formação inical dos professores.


Texto completo:

281-295

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulher e educação: A paixão pelo possível. São Paulo: Edunesp, 1998.

ARCE, Alessandra. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e o espontaneísmo: re(colocando) o ensino como eixo norteador do trabalho pedagógico com crianças de 4 a 6 anos. In: ARCE, Alessandra; MARTINS, Lígia Márcia. (org.). Quem tem medo de ensinar na Educação Infantil? Em defesa do ato de ensinar. 2ª ed. Campinas-SP: Alínea, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF: MEC, 2009.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96. Brasília, 1996.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 2012.

GAMBOA, Silvio A. S. Pesquisa em Educação: Métodos e epistemologias. Santa Catarina. Argos, 2007.

LAZZAROTTI FILHO, Ari; SILVA, Ana Marcia; ANTUNES, Priscilla de Cesaro; SALLES DA SILVA, Ana Paula; LEITE, Jaciara Oliveira. O termo práticas corporais na literatura científica brasileira e sua repercussão no campo da Educação Física. Movimento, Porto Alegre, v16, n1, p.65, 2010. Disponível em: . Acessado em: 30/08/2017.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2ª edição. 4ª reimpressão. São Paulo: Cortez, 2013.

______; PIMENTA, Selma G. Formação dos profissionais da educação: visão crítica e perspectivas de mudança. In: PIMENTA, Selma G. (Org.). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2006. p. 11-57.

MARCELLINO, Nelson Carvalho (org.). Lúdico, educação e educação física. 2. Ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2003.

MARTINS, Lígia Márcia. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão. A prática pedagógica histórico-crítica na educação infantil e ensino fundamental. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Hermenêutica-dialética como caminho do pensamento social. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2002. Disponível em: . Acessado em: 27/07/2017.

OLIVEIRA, Marcus Aurélio Taborda de; OLIVEIRA, Luciane Paiva Alves de; VAZ, Alexandre Fernandez. Sobre corporalidade e escolarização: contribuições para a reorientação das práticas escolares da disciplina de Educação Física. Pensar a prática, v. 11, n.3, 2008.

RECIFE. Política de ensino da rede municipal do Recife: Educação Infantil. Recife: Secretaria de Educação, 2015.

ROCHA, Eloisa A. C.; KRAMER, Sonia. Educação Infantil: enfoques em diálogo. 3ª edição. Campinas-SP: Papirus, 2013.

ROMANOWSKI, Joana Paulin. Curso de pedagogia: Formação do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. Revista Brasileira de Pesquisas sobre Formação de Professores. Volume 02 / n. 03 ago.-dez. 2010. ISSN 2176-4360. Disponível em: . Acessado em 22/09/2017.

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 4ª edição. Campinas-SP: Autores Associados, 2013.

______. Escola e Democracia. 38. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17ª edição. Petrópolis-RJ: 2014.

SILVA, Ana Márcia. Entre o corpo e as práticas corporais. Rev. ARQUIVOS em MOVIMENTO, Rio de Janeiro, Edição Especial, v.10, n.1, p.5-20, jan/jun 2014. Disponível em: . Acessado em: 30/08/2017.

SOUZA JÚNIOR, Marcílio; MELO, Marcelo S. Tavares de; SANTIAGO, Maria Eliete. A análise de conteúdo como forma de tratamento dos dados numa pesquisa qualitativa em Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, v.16, n.03, p.31-49, julho/setembro de 2010. Disponível em: . Acessado em: 27/07/2017.

VYGOTSKY; Lev Semenovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alex N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 14ª edição. São Paulo: Ícone editora, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica - ISSN: 2447-6943

Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica

Colégio de Aplicação da UFPE

Endereço
Avenida da Arquitetura S/N Cidade Universitária
CEP 50740 - 550

Telefones
Secretaria: (81) 2126-8332
Direção: (81) 2126-8335