Tangram: a contemporaneidade e conexões matemáticas desse jogo milenar

João Domingos da Silva Junior Gomes, Daniele Simas Pereira Alves, Liliana Manuela Gaspar Cerveira da Costa, Marcela Frontelmo

Resumo


A partilha de experiências pedagógicas deve ser uma preocupação de todos os professores. Neste sentido, apresenta-se um relato de uma atividade realizada com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental no Colégio Pedro II. Procuramos elucidar de forma clara nossa proposta pedagógica para que outros colegas possam, assim como nós, propor atividades experimentais para a construção e fixação de conceitos. Usando o jogo como ponto de partida e, tendo como preocupação conectar dois temas fundamentais deste grau de ensino da educação básica: geometria e números, conseguimos aliar o lúdico à construção de conhecimento. A atividade foi realizada em duas aulas de 90min, cada, em três momentos: no primeiro, os alunos construíram um Tangram, efetuando dobraduras em uma folha A4; no segundo momento, os alunos foram  convidados a refletir e a responder a várias questões que conectam as noções de área e de fração, recorrendo para isso às diferentes peças do Tangram e variando a unidade de área; no terceiro momento, os alunos participaram, em grupo, numa gincana na quadra de esportes. Relataremos não só as dificuldades, questionamentos e resultados obtidos, como também mostraremos imagens sobre a aplicação dos diversos momentos da atividade, ressaltando o fato de uma atividade desta natureza ser de enorme importância para o desenvolvimento de várias das inteligências múltiplas, segundo a classificação de Gardner.


Palavras-chave


Tangram, quebra-cabeça, área, fração, figuras equivalentes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.36397/emteia.v11i1.244078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2177-9309

Contato: revista.emteia@ufpe.br