TENSÕES E POSSIBILIDADES ACERCA DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES NO BRASIL: A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA

Pedro França Vinicius, Juliana Costa Rocha, Luiz Arthur Saraiva

Resumo


A discussão em relação ao processo de formação inicial de professores constitui-se como temática central no contexto das principais questões que compõem o cenário da educação no Brasil. Os modelos de formação aligeirada, estruturações curriculares que se configuram mais ao bacharelado do que à licenciatura e as consequências práticas das recém-aprovadas políticas educacionais: Reforma do Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017), Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e Residência Pedagógica são exemplos de tensões que integram e influenciam tais reflexões sobre a conjuntura de formação no país. Nesse contexto, o objetivo da presente pesquisa é abordar essas e outras tensões com a finalidade de refletir e propor possíveis caminhos que resultem em uma melhor compreensão e aperfeiçoamento da realidade atual, dando ênfase à formação do professor de Geografia. Os procedimentos metodológicos adotados pautaram-se em pesquisa documental e na revisão bibliográfica de autores que tratam a respeito do tema. Os resultados obtidos demonstram que ainda são muitos os dilemas e dificuldades que compõe o âmbito da formação inicial de professores de Geografia, assim, insistir na continuidade de pesquisas e diálogos (particulares e comuns) acerca do assunto é fundamental na finalidade de melhor discerni-lo, propondo outros caminhos e possibilidades.


Palavras-chave


Formação inicial; Geografia; Possibilidades.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.51359/2594-9616.2018.240466



INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.