PAISAGEM NO ENSINO DE GEOGRAFIA URBANA: OLHARES E VIVÊNCIAS NO CENTRO URBANO DO MUNICÍPIO DE IPIAÚ - BAHIA

Patrícia Ferreira Silva, Gilmar Alves Trindade

Resumo


As paisagens urbanas são produtos de processos e relações sociais que refletem a cultura e o modo de vida de tal sociedade. Por meio da técnica, a natureza é transformada em objetos culturais expressos e materializada no espaço. A sociedade, como parte integrante da sua produção, cria funções e formas que constituem a organização espacial, com diferentes significados de acordo com as vivências de cada pessoa; esses fatores permitem a construção de conhecimentos globais a partir do lugar onde se vive, e os colocam em conexão com relações socioespaciais cada vez mais complexas. O objetivo deste trabalho é definir possibilidades de análise, leitura e representação da paisagem do centro urbano de Ipiaú-BA, com a identificação de seus principais signos, perspectivas e tendências que estabelecem ferramentas para o estudo da paisagem urbana no ensino de Geografia na educação básica. Teoricamente, o trabalho se apoia nos pressupostos da Geografia Cultural, destacando fundamentos também da Geografia Humanística. A metodologia buscou capturar os signos e elementos culturais presentes na paisagem urbana do Centro de Ipiaú, por meio da descrição e interpretação através de registros fotográficos, pesquisa de campo, além de pesquisa bibliográfica e documental. Os principais signos e elementos culturais identificados na paisagem central urbana de Ipiaú foram: o Cine Éden, a Igreja Matriz de S. Roque, o Edifício St. Paula, o comércio e a Praça Rui Barbosa. A praça se faz presente como lugar onde esses elementos culturais, que são materiais, atuam como signos que estimulam relações imateriais que constroem e modificam o espaço constantemente.

 


Palavras-chave


Geografia Cultural; Paisagem; Espaço Urbano; Geografia Escolar

Texto completo:

PDF

Referências


CARLOS, A. F. A cidade. 4. ed. São Paulo: Contexto, 1999. 98 p.

______. O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Contexto, 2004. 154 p.

CASTRO, J. A. Um giro na evolução histórica de Ipiaú. Giro em Ipiaú, jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2017.

CHAGAS, A. T. R. O questionário na pesquisa científica. São Paulo: FECAP, 2000. V. 1.

Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2017.

CORRÊA, R. L. O espaço urbano. 4. ed. São Paulo: Ática, 2005. 94 p.

CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Orgs.). Paisagem, tempo e cultura. 2. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998. 124 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Cidades, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2017.

______. Histórico do município, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2017.

______. Sinopse por setores, 2016. Disponível em: . Acesso em 06 de out. 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Caracterização e tendências da rede urbana do Brasil: desenvolvimento regional e estruturação

da rede urbana. IPEA, IBGE, UNICAMP/IE/NESUR. Brasília: IPEA, 2001.v.3; 127 p.

LATINI, K. M.; ARAÚJO, A. F. A importância do trabalho de campo no planejamento curricular da Geografia para a educação básica: um exemplo das escolas do município de Nova Friburgo. In: ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICA DE ENSINO EM GEOGRAFIA, 10. 2009, Porto Alegre, RS. Anais...Porto Alegre, RS: [s. n.], set. 2009. Não paginado. Disponível em: .Acesso em: 2 dez. 2017.

LUCHIARI, M. T. D. P. A (re)significação da paisagem. In: ROSENDAHL, Z.; CORRÊA, R. L (Org.). Paisagem, imaginário e espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 9-28. 228 p.

MOTTA, D. M. da; AJARA, C. Configuração da rede urbana do Brasil. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n. 100, jan./jun., p. 7-25, 2001. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2017

ROCHA, L. B. O centro da cidade de Itabuna: trajetória, signos e significados. Ilhéus, BA: Editus, 2003. 190 p.

ROMMEL, C. Ipiaú: Edifício Santa Paula, quase quarenta anos de atraso. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2018.

ROSADA, M. O plano sem traçado: a Igreja na lógica urbanística portuguesa de criação das vilas coloniais. In: PEIXOTO, E. R.; DERNTL, M. F.; PALAZZO, P. P.; TREVISAN, R. (Orgs.) Tempos e escalas da cidade e do urbanismo, 2014, Brasília, DF. Anais do XIII Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. Brasília, DF: Universidade Brasília- Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2014.Disponível em:. Acesso em: 01 maio 2018.

TRINDADE, G. A. Aplicação dos conceitos geográficos no ensino fundamental e médio. In: TRINDADE, G. A. et al. Geografia e ensino: dimensões teóricas e práticas para a sala de aula. Ilhéus, BA: Editus, 2017. p. 26-36.

______. Aglomeração Itabuna-Ilhéus: cidade, região e rede urbana. 361 p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE. 2011.

TURRA NETO, N. Geografia Cultural, juventudes e ensino de Geografia: articulações possíveis. Revista Formação, Presidente Prudente -SP, v. 1, p. 38-56, 2013.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2019.v2n2id241464



INDEXADORES E BASE DE DADOS