ENSINO DE GEOGRAFIA: CATEGORIAS DE ANÁLISE E PERCEPÇÕES DO ESPAÇO DE VIVÊNCIA PELOS ALUNOS

Jonas Marques Penha, Josandra Araújo Barreto de Melo

Resumo


Este artigo analisa os resultados das experiências vivenciadas no Estágio Supervisionado, componente obrigatório do curso de Licenciatura em Geografia, da Universidade Estadual da Paraíba, desenvolvido em turma do 8º “B”, modalidade Educação de Jovens e Adultos - EJA, de uma escola da rede estadual de ensino da cidade de Campina Grande, PB. A problemática foi a distância entre a Geografia e a Geografia Escolar, especialmente, na EJA. Assim, buscou-se intervir em sala de aula, de forma a possibilitar a aproximação das categorias de análise geográficas aos conhecimentos empíricos dos alunos. Nessa perspectiva, objetivou-se observar a dinâmica das aulas da professora regente; traçar o perfil dos discentes; elaborar e aplicar um plano de intervenção. A pesquisa se delineou como colaborativa, visto que, a pretensão foi de investigar-agir com a contribuição das professoras de estágio e regente; dos estagiários (o estágio aconteceu em dupla em virtude da disponibilidade de turmas) e; da turma. Trabalhou-se majoritariamente na perspectiva da Geografia humanista, contextualizando as percepções dos alunos acerca do espaço vivido com os conceitos geográficos na construção de um olhar espacial crítico. Observou-se o despertar da percepção espacial do alunado a partir do ambiente escolar, de sua identidade e relações de pertencimento.


Palavras-chave


Geografia escolar; Estágio supervisionado; Espaço vivido

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Maria A. M. de. Século de prática de ensino de Geografia: permanências e mudanças. In: REGO, N.; CASTROGIOVANNI, A. C.; KAERCHER, N. A. (orgs.) Geografia: práticas para o ensino médio: volume 2. Porto Alegre: Penso, 2011. p. 13 – 32.

ALMEIDA, Rosângela D. A propósito da questão teórico-metodológica sobre o ensino de geografia. Revista Terra Livre. nº8. São Paulo: AGB, 1991. p.83-90. Disponível em: http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/article/view/92. Acesso em: 23 jan. 2019.

ANDRADE, Manuel C. de. A Questão do Território. In:______. A questão do território no Brasil. 2. ed. São Paulo: HUCITEC, 2004. p. 13-19.

BOCK, A. M. B; FURTADO, O; TEIXEIRA, M. de L. T. Psicologia da Aprendizagem. In:______. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2002. p. 114-129.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: geografia. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/ SEF, 1998. 156 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/geografia.pdf. Acesso em: ago. 2018.

CALLAI, Helena C. A Geografia e a escola: muda a Geografia? Muda o ensino? Revista Terra Livre. São Paulo, n.16, p. 134-151. 2001. Disponível em: http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/article/view/353. Acesso em: dez. 2018.

CARLOS, Ana F. A. Definir o Lugar? In:______. O lugar no/do mundo. São Paulo: Labur, 2007. p.16-20.

CAVALCANTI, Lana. de S. Geografia, escola e construção de conhecimentos. 17 ed. Campinas-SP: Papirus, 1998.

CORRÊA, Roberto L. Região: um conceito complexo. In:______. Região e organização espacial. 2ed. São Paulo: Ática, 1987. p. 22-50.

DINIZ, Vanessa L.; COMPIANI, Maurício. O ensino de geografia e suas relações com a pedagogia crítica do lugar: contribuições para uma prática interdisciplinar. Rev. Geografia, Ensino & Pesquisa, UFSM, v. 21, n.1, p. 65-77, jan./abr., 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/21789/pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

FRANCO, Maria A. R. S. Da necessidade/atualidade da pedagogia crítica: contributos de Paulo Freire. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 25, n. 2, p. 154-170, maio/ago. 2017. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/index. Acesso em: 19 ago. 2019.

FRANCO, Maria. A. R. S. Prática docente universitária e a construção coletiva de conhecimentos: possibilidades de transformações no processo ensino-aprendizagem. Cadernos de Pesquisa Universitária X, USP, São Paulo, set. 2009. Disponível em: http://www.prpg.usp.br/attachments/article/640/Caderno_10_PAE.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura).

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11 ed. Rio de Janeiro: DP&A. 2006.

PONTUSCHKA, N. N.; PAGANELLI, T; CACETE, N. H. A Geografia como ciência e disciplina escolar. In:______. Para ensinar e aprender Geografia. São Paulo: Cortez, 2009. p. 35-104.

SAIKI, K.; GODOI, F. B. A prática de ensino e o estágio supervisionado. In: PASSINI, E. Y. (Org.). Prática de ensino de Geografia e estágio supervisionado. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 26-31.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. São Paulo: Hucitec, 1988. (versão digitalizada).

SATO, E. C. M.; FORNEL, S. R. Conhecimento do espaço escolar. In: PASSINI, E. Y. (Org.). Prática de ensino de geografia e estágio supervisionado. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 52-57.

SOARES, L. J. G. As políticas de EJA e as necessidades de aprendizagem dos jovens e adultos. In: RIBEIRO, V. M. (Org.). Educação de jovens e adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas, SP: Ação Educativa, 2001. p. 201-224.

TICKS, Luciene K. (Re) Configuração Identitária de uma Professora de Lingua Inglesa por meio da pesquisa colaborativa. Linguagens & Cidadania, v. 10, n.2, jul./dez., 2008. Disponível em: < https://periodicos.ufsm.br/LeC/article/view/28272>. Acesso em: 17 jun. 2019.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1983.

VASCONCELLOS, Celso. dos S. Conteúdo e forma da avaliação. In:______. Avaliação da Aprendizagem: práticas e mudanças - por uma práxis transformadora. 5. ed. São Paulo: Libertad, 2003. p. 91-132. (Coleção Cadernos Pedagógicos do Libertad, v.6).




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2019.v2n3id242433



INDEXADORES E BASE DE DADOS