ENTRE LIMITES E POSSIBILIDADES DA GEOGRAFIA ESCOLAR

Dayana Aparecida Marques Oliveira Cruz

Resumo


Diante das transformações do espaço geográfico contemporâneo refletir sobre o mundo é uma tarefa cada vez mais complexa e necessária. A geografia tem um papel fundamental, pois viabiliza tais discussões no ambiente escolar, através do conhecimento geográfico, contribuindo assim para a formação cidadã do indivíduo. Este artigo é resultado das reflexões oriundas de uma revisão bibliográfica sobre o tema, cujo objetivo é refletir sobre as potencialidades da geografia escolar para a formação cidadã. As ideias debatidas aqui têm como referência uma bibliografia de matriz teórico-metodológica crítica que busca analisar as contradições e possibilidades da geografia no quadro da educação brasileira.


Palavras-chave


Ensino de Geografia; Formação Cidadã; Geografia Escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, B. K; EGLER, C. A. G. Brasil: uma nova potência regional na economia-mundo. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

CALLAI, H. A Geografia e a escola: muda a geografia? Muda o ensino? In: Terra Livre. São Paulo. n. 16. 2001, p. 133-152.

CALLAI, H. C. Aprendendo a ler o mundo: a geografia nos anos iniciais do ensino fundamental. In: Caderno Cedes. Campinas, vol. 25, n. 66, 2005, p.227-247.

GOOSDSON, I. F. A construção social do currículo. Lisboa: Educa, 1997.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HARLEY, B. Mapas, saber e poder. In: Confins [Online], n. 5, 2009. Disponível em: http://journals.openedition.org/confins/5724, acesso em 01/04/2019.

KAERCHER, N. A. O gato comeu a geografia crítica? Alguns obstáculos a superar no ensino-aprendizagem de geografia. In: PONTUSCHKA, N. N; OLIVEIRA, A. U (orgs). Geografia em perspectiva. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2013, p. 221-231.

LACOSTE, Y. A Geografia - isso serve, em primeiro lugar para fazer a guerra. Campinas: Papirus, 1988.

LOJKINE, J. O Estado capitalista e a questão urbana. 2. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

PONTUSCHKA, N.N; PAGANELLI, I. T; CACETE, N. H. Para ensinar e aprender geografia. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

RICHTER, D. Raciocínio geográfico e mapas mentais: a leitura espacial do cotidiano por alunos do ensino médio. Presidente Prudente: Universidade Estadual Paulista. 320 f. Tese (Doutorado em Geografia), 2010.

ROCHA, G. O. R. Uma breve história da formação do(a) professor(a) de Geografia no Brasil. In: Revista Terra Livre. São Paulo, n. 15, 2000, p. 129-144

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

SANTOS, M. O espaço do cidadão e outras reflexões. Porto Alegre: Fundação Ulisses Guimarães, 2011.

SILVA, Alcinéia de Souza; SOBRINHO, Hugo de Carvalho; LEITE, Cristina Maria Costa. Análise crítico-reflexiva da reforma do ensino médio: o ensino de geografia em questão In: Revista de Ensino de Geografia, Uberlândia, v. 8, n.14, p.128-140, 2017.

STRAFORINI, R. Ensinar geografia nas séries iniciais: o desafio da totalidade mundo. Dissertação (mestrado em Geografia). UNICAMP. Instituto de Geociências. 150 f. Campinas: s.n., 2001.

VESENTINI, J. W. A formação do professor de geografia – algumas reflexões. In: PONTUSCHKA, N. N; OLIVEIRA, A. U (orgs). Geografia em perspectiva. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2013, p. 235-240.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2020.v3n2id243768

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS