EXCURSÕES E AULA DE CAMPO EM GEOGRAFIA: UM OLHAR DIFERENTE SOBRE O SEMIÁRIDO

Thiago dos Santos Dantas, Joel Maciel Pereira Cordeiro

Resumo


O semiárido nordestino envolve uma área de aproximadamente 1.120.000 km² distribuído entre 1.262 municípios. Embora seja tratado muitas vezes como ambiente seco e adverso, o semiárido apresenta uma ampla diversidade de elementos naturais, histórico-culturais e áreas economicamente desenvolvidas. O presente trabalho tem como objetivo demonstrar a relação sociedade-natureza e a diversidade paisagística natural e cultural do semiárido a partir de excursões envolvendo aulas de campo. A excursão envolveu alunos e professores de graduação em geografia (licenciatura plena).  Foram visitados os municípios de Juazeirinho, Patos e Sousa na Paraíba e diversas temáticas foram discutidas de forma prática, como vegetação da caatinga, clima, geologia, geomorfologia, paleontologia, recursos hídricos e economia do semiárido. As atividades práticas de excursões envolvendo aulas de campo se demonstraram de fundamental importância para a formação profissional do licenciado em geografia, permitindo o desenvolvimento de novos conceitos, novos olhares e pensamentos críticos sobre diversas temáticas envolvendo o semiárido nordestino.


Palavras-chave


Análise da paisagem; Caatinga; Estereótipos regionais; Nordeste; Trabalho de campo

Texto completo:

PDF

Referências


AB'SABER, A. N. O domínio morfoclimático semi-árido das caatingas brasileiras. Geomorfologia, n. 43, p. 1-39, 1974.

ABRIL-SELLARÉS, M.; CRIADO, M. C. A.; SÁNCHEZ-FERNÁNDEZ, M. D. Análisis del viaje como uno de los ejes transformadores del proceso educativo. Universitas, v. 30, p. 63-78, 2019.

ALENTEJANO, P. R. R.; ROCHA-LEÃO, O. M. Trabalho de campo: uma ferramenta essencial para os geógrafos ou um instrumento banalizado? Boletim Paulista de Geografia, v. 84, p. 51-67, 2006.

ANDRADE, M. C. A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2005. 336p.

AZAMBUJA, L. D. Trabalho de campo e ensino de Geografia. Geosul, Florianópolis, v. 27, n. 54, p. 181-195, 2002.

BRASIL. Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca/PAN-Brasil. Brasília (DF): Ministério do Meio Ambiente/Secretaria de Recursos Hídricos, 2004. 214p.

COMPIANI, M.; CARNEIRO, C. D. R. Os papéis didáticos das excursões geológicas. Enseñanza de las Ciencias de la Tierra, v. 1, n. 2, p. 90-97, 1993.

CORDEIRO, J. M. P.; OLIVEIRA, A. G. A aula de campo em geografia e suas contribuições para o processo de ensino-aprendizagem na escola. Geografia (Londrina), v. 20, n. 2, p. 99-114, 2011.

CORRÊA, M. M.; KER, J. C.; MENDONÇA, E. S.; RUIZ, H. A.; BASTOS, R. S. Atributos físicos, químicos e mineralógicos de solos da região das várzeas de Sousa (PB). Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 27, n. 2, p. 311-324, 2003.

GOMES, J. F.; LUNA, V. F.; SILVA, M. O.; RIBEIRO, S. C. A importância da aula de campo como metodologia de ensino de Geomorfologia do Semiárido: relato de experiência nos sertões da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 21, n. 2, p. 784-794, 2019.

JESUS, M. C. S.; SANTOS, M. F. A aula de campo no ensino da geografia: experiências cotidianas na cidade para construção de aprendizagens. Revista Ensino de Geografia (Recife), v. 2, n. 1, p. 186-197, 2019.

LACOSTE, Y. A pesquisa e o trabalho de campo: um problema político para os pesquisadores, estudantes e cidadãos. Boletim Paulista de Geografia, v. 84, p. 77-92, 2006.

LAMBERT, D.; REISS, M. J. The place of fieldwork in geography qualifications. Geography, v. 101, n. 1, p. 28-34, 2016.

LEITÃO, J. A.; SANTOS, M. S. T. Imagem jornalística e representações sociais: a imagem dos Sertões. Intercom (São Paulo), v. 35, n. 1, p. 133-155, 2012.

LEONARDI, G.; CARVALHO, I. S. Icnofósseis da Bacia do Rio do Peixe, PB: o mais marcante registro de pegadas de dinossauros do Brasil. In: SCHOBBENHAUS, C.; CAMPOS, D. A.; QUEIROZ, E. T.; WINGE M.; BERBERT-BORN, M. L. C. (edts.). Sítios geológicos e paleontológicos do Brasil. Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), 2002. p. 101-111.

MARENGO, J. A.; ALVES, L. M.; BESERRA, E. A.; LACERDA, F. F. Variabilidade e mudanças climáticas no semiárido brasileiro. In: MEDEIROS, S. S.; GHEYI, H. R.; GALVÃO, C. O.; PAZ, V. P. S. (Orgs.). Recursos hídricos em Regiões Áridas e Semiáridas. INSA, Campina Grande, pp. 383- 416, 2011.

MARTIN, R. E. M. W. Os desafios na construção dos saberes docentes do professor de geografia. Linguagens, Educação e Sociedade, v. 1, n. 33, p. 63-78, 2017.

MIZAMBAEVA, F. K.; BAIMYRZAEV, K. M. Conditions for the formation of professional competence of an intending geography teacher. Revista Espacios, v. 40, n. 09, 2019.

MOREIRA, E. R. F.; TARGINO, I. Capítulos de geografia agrária da Paraíba. Editora Universitária/UFPB: João Pessoa, 1997. 332p.

OLIVEIRA, C. D. M.; ASSIS, R. J. S. Travessias da aula em campo na geografia escolar: a necessidade convertida para além da fábula. Educação e Pesquisa, v. 35, n. 1, p. 195-209, 2009.

QUEIROZ, L. P.; CARDOSO, D.; FERNANDES, M. F.; MORO, M. F. Diversity and evolution of flowering plants of the Caatinga domain. In: SILVA, J. M. C.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. (edt.). Caatinga: the largest tropical dry forest region in South America. Springer International Publishing: Amsterdam, 2017, p. 23-63.

SANTOS, W. F. S.; CARVALHO, I. S.; BRILHA, J. B.; LEONARDI, G. Inventory and assessment of palaeontological sites in the Sousa Basin (Paraíba, Brazil): preliminary study to evaluate the potential of the area to become a geopark. Geoheritage, v. 8, n. 4, p. 315-332, 2016.

SILVA, J. M. C.; BARBOSA, L. C. F.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. The Caatinga: understanding the challenges. In: SILVA, J. M. C.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. (edt.). Caatinga: the largest tropical dry forest region in South America. Springer International Publishing: Amsterdam, 2017, p. 03-19.

SILVA, J. M. C.; BARBOSA, L. C. F. Impact of human activities on the Caatinga. In: SILVA, J. M. C.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. (edt.). Caatinga: the largest tropical dry forest region in South America. Springer International Publishing: Amsterdam, 2017, p. 359-368.

SILVA, E. J.; COUTINHO, D. J. G. A excursão geográfica como recurso didático no ensino de geografia. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 12, p. 31667-31675, 2019.

SILVA, S. D. R.; MASSUCHIN, M. G. Construção do Nordeste no telejornalismo: um estudo do Jornal Hoje. Revista Extraprensa, v. 13, n. 1, p. 185-207, 2019.

SILVA, J. M. C.; BARBOSA, L. C. F.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. The Caatinga: understanding the challenges. In: SILVA, J. M. C.; LEAL, I. R.; TABARELLI, M. (edt.). Caatinga: the largest tropical dry forest region in South America. Springer International Publishing: Amsterdam, 2017, p. 03-19.

SOUSA, J. D.; LIMA, D. C.; BRITO, F. C. S.; MEDEIROS, A. P.; PAIVA, A. C. C.; MARACAJA, P. B. O desenvolvimento da região Nordeste: uma abordagem econômica e ambiental. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, v. 11, n. 1, p. 42-48, 2017.

SUDENE - SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE. Nova delimitação Semiárido. Resolução CONDEL nº 107, de 27/07/2017 e nº 115, de 23/11/2017. Ministério da Integração Nacional, 2018. Disponível em: < http://www.sudene.gov.br > Acesso em: 03 Novembro 2019.

SUERTEGARAY, D. M. A. Pesquisa de campo em geografia. GEOgraphia, v. 4, n. 7, p. 64-68, 2002.

TRAVASSOS, I. S.; SOUZA, B. I.; SILVA, A. B. Secas, desertificação e políticas públicas no semiárido nordestino brasileiro. Okara: Geografia em debate, v. 7, n. 1, p. 147-164, 2013.

TRICART, J. O campo na dialética da geografia. GEOUSP: Espaço e Tempo (Online), v. 21, n. 1, p. 305-314, 2017.

VENTURA, A. C.; GARCIA, L. F.; ANDRADE, J. C. S. O potencial das tecnologias sociais de convivência com o semiárido para a geração de sinergia entre mitigação e adaptação às mudanças climáticas: um caso ilustrativo. Revista Econômica do Nordeste, v. 50, n. 1, p. 65-83, 2019.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2020.v3n1id244684

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS