A LEITURA DE MUNDO A PARTIR DOS MAPAS TEMÁTICOS: ANÁLISE COMPARATIVA DOS MATERIAIS DIDÁTICOS DO BRASIL E DA ESPANHA

Raiane Florentino

Resumo


Ao conceber a Cartografia como uma ferramenta que possibilita explicar, interpretar e representar o espaço, acredita-se que a mesma permite efetuar o raciocínio geográfico através dos mapas temáticos, que possuem o objetivo de aprofundar os estudos sobre os fenômenos espaciais e a dimensão destes, investigando, assim, a natureza, a dinâmica e a concepção destes fenômenos espaciais. No Brasil, os mapas temáticos são comumente utilizados como um método de ilustração e localização de locais. Na Espanha, observa-se que o mesmo ocorre, pois, muitas vezes seus materiais didáticos também se preocupam em demonstrar a localização de países e da ocorrência de fenômenos. Aliado ao fato de que o primeiro documento curricular padronizado escolar para o território brasileiro foi inspirado pelas reformas escolares espanholas, almeja-se exibir uma comparação entre os mapas inseridos nas propostas didáticas espanholas e brasileiras, apresentando os resultados obtidos a partir dos materiais didáticos utilizados pelas escolas públicas do estado de São Paulo, na região sudeste do Brasil, denominado de Caderno do Professor e do livro didático Geografia i Història, da Espanha. Este estudo utilizou um esquema desenvolvido com base no pensamento espacial para explorar a complexidade dos exercícios que envolvem mapas temáticos.


Palavras-chave


Material didático; Pensamento Espacial; Cartografia; Brasil; Espanha

Texto completo:

PDF

Referências


De Miguel, R. Pensamiento espacial y conocimiento geográfico en los nuevos estilos de aprendizaje, Actas del XI Congreso Nacional de Didáctica de la Geografía, 2016, 11-39.

Gersmehl, P. J.; Gersmehl, C. A. Spatial thinking by young children: Neurologic evidence for early development and educability, Journal of Geography, 106 (5), 2007, p. 181–19.

Jo, I; Bednarz, S. W. Evaluating geography textbook questions from a spatial perspective: usng concepts of space, tools of representation, and cognitive processes to evaluate spatiality, Journal of Geography, 108 (1), 2009, 4-13.

National Research Council. Learning to Think Spatially. The National Academies Press. 2006. Disponível em: https://doi.org/10.17226/11019. Acesso em jan. de 2020.

Simielli, M. E. R. Cartografia e Ensino: proposta e contraponto de uma obra didática, Memorial para Concurso (Livre Docência), 1996.

Tonini, I.; Claudino, S; Souto, X. Mudanças e continuidades nos livros didáticos de Geografia: uma análise comparativa entre Brasil, Espanha e Portugal, Revista Terra Livre, 2, 2017, 45, 31-61.




DOI: https://doi.org/10.51539/2594-9616.2020.244787

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.