Para Pensar a Fotografia como Pausa Audiovisual

Cybeli Almeida Moraes

Resumo


O presente artigo aborda a invenção do conceito de pausa audiovisual – pausa AV –, partindo das percepções e dos afetos sobre um corpus errante de materiais que abrangem produções televisivas, videográficas, cinemáticas, fotográficas e internéticas. Utilizando os aportes teórico-metodológicos de Silva e Rossini, Bergson, Deleuze, Guattari, Derrida, Benjamin e Kilpp, entre outros, o objetivo é problematizar a presença da fotografia nos mais diversos meios reconhecidos hoje como audiovisuais. Tal arquitetura possibilitou a seguinte conclusão: a pausa AV é um misto que, como tal, possui uma tendência atualizada em ralentis, inscrições fotográficas e fragmentos longos, e outra, virtual: a espera. A delimitação do conceito de pausa AV pode contribuir para a compreensão da cena audiovisual contemporânea.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil