As Possibilidades da Representação?

Emiliano Dantas

Resumo


O trabalho proposto neste texto é um questionamento, a partir da visão de um fotógrafo, sobre como a identidade do homem nordestino é representada pelo Museu da Gente Sergipana. Para isto, manter-se-á um diálogo com a Antropologia, que auxiliará a refletir sobre o modo como a produção fotográfica está servindo a uma ideologia estereotipada da imagem do homem nordestino em locais públicos.

Palavras-chave


fotografia; antropologia, representação; identidade; museu

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v15i1.230709

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil