Imagens Que Advêm: por uma antropologia da imagem fotográfica em A câmara clara

Rodrigo Fontanari

Resumo


Espiar pelo buraco da fechadura... O que te parece? Aqui, pistas oscilam entre a veracidade de fatos e o caráter ficcional fotos. Coloco-me a pensar sobre falsas perspectivas... textos (in)visíveis que-se-fazem-pensantes. Quatro momentos estruturam esta reflexão. Primeiro, surge o voyeur – aquele que se esconde para “espiar” cenas do campo privado – associado à produção fotográfica de Kohei Yoshiyuki. Em seguida, observamos a ação do voyeur como àquele que pode eleger uma cena (neste caso fotografias) para examiná-las por diferentes perspectivas. O terceiro momento visa estabelecer uma espécie de jogo de fusão no qual se questiona o sentido que já está dado ao voyeur, para evidenciar a aposta em uma nova leitura sobre a figura do voyeur e o (re)significado do próprio termo. Por fim, busca-se entrelaçar voyeurismo, a fotografia e a ruína benjaminiana, que aqui talvez se configure como o componente mais perspicaz deste pensamento. Um jogo ousado, porém desejável...

Palavras-chave


fotografia; voyeurismo; ruína

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Diretórios e Indexadores: Sumários, LivRe/CNEN, Periódicos UFPE, .periódicos. CAPES (em atualização).

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

© 1996-2017 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil