Da leitura de uma picture à imagem de uma teoria: metaimagens da Rede Minas

Simone Maria Rocha, Olívia Érika Alves Resende

Resumo


O objetivo deste artigo é o de captar, através da picture disponível na seção “Cultura” do site da Rede Minas de Televisão, qual é a possível imagem da audiência desta TV pública. Nossa preocupação inscreve-se no movimento contemporâneo de interrogação sobre a imagem que redundou na construção do campo interdisciplinar de estudos de cultura visual, segundo o qual é preciso que se adote um gesto pós-linguístico de dar imagem à teoria e se dedique às formas de ver e mostrar inscritas em nosso cotidiano. Metodologicamente, a análise do composto imagem/texto nos conduziu a uma metaimagem de dupla dimensão. Na primeira, a picture nos revela as estruturas conceituais e políticas que sustentam o fazer televisivo empreendido pela Emissora e, na segunda, ao mostrar o reflexo vazio de um espelho, a picture nos devolve o questionamento sobre a audiência da Rede Minas.


Palavras-chave


metaimagem; televisão pública; Rede Minas; estudos visuais; cultura

Texto completo:

PDF

Referências


BECERRA, Martín. Entrevista: Martín Becerra. In: Em Defesa da Comunicação Pública / organizadores, Murilo César Ramos... [et al.] – Brasília: FAC-UnB, 2016. 270 p.; Entrevista concedida a Gláucia da Silva Mendes Moraes.

BRASIL. Lei 11.652/2008. República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11652.htm Acesso em 01 de março de 2017.

BREA, José Luis. Los estudios visuales: por unaepistemología política de la visualidad. In Brea, J. L. (Ed.). Estudios Visuales: La epistemologia de la visualidad en la era de la globalización. Madrid: Akal Estudios Visuales, 2005.

CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas - estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. – São Paulo: EDUSP, 1997.

CHAUÍ, Marilena. Como superar a dicotomia entre conformismo e resistência? In: HERLINGHAUS, H.; WALTER, M. (Ed.). Posmodernidade en la periferia: enfoques latinoamericanos de la nueva teoria cultural. Berlim: Langer, 1994.

CULTURA, Rede Minas de Televisão; Fundação TV Minas Cultural, 2017. Disponível em < http://redeminas.tv/cultura/>. Acesso em 02 ago.2018.

FOSTER, H. Preface. In: FOSTER, H. (org.). Vision and visuality. Seattle: Bay Press, 1988.

GRUZINSKI, Serge. A guerra das imagens: de Cristóvão Colombo a Blade Runner (1942 – 2019); tradução de Rosa Freire d’Aguiar. _ São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 348 p.

HERLINGHAUS, H; WALTER, M. “modernidad periférica” versus “proyeto de la modernidad”? Experiencias epistemológicas para reformulación de lo ‘pos’ moderno desde América Latina. In: HERLINGHAUS, H.; WALTER, M. (Ed.). Posmodernidade en la periferia: enfoques latinoamericanos de la nueva teoria cultural. Berlim: Langer, 1994.

JAY, M. Relativismo Cultural e a virada visual. Journal of Visual Culture. V. 1. N. 3, dezembro de 2002. Versão em português na Revista Aletria, 2003/2004.

KNAUSS, Paulo. O desafio de fazer História com imagens: arte e cultura visual. ArtCultura, Uberlândia, v. 8, n. 12, p. 97-115, jan.-jun. 2006.

MARTÍN-BARBERO, Jesús; REY, Germán. Os exercícios do ver: hegemonia audiovisual e ficção televisiva; São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2001.

______. Oficio de cartógrafo - Travesías latinoamericanas de la comunicación en la cultura, São Paulo: Edições Loyola, 2004.

______. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009.

MITCHELL, W.J. Thomas. What Do Pictures Want?: The Lives and Loves of Images. Chicago: University of Chicago Press, 2005a.

______. Teoría de la imagen: ensayos sobre representación. Madri: Ediciones Akal, 2009.

______. No existen medios audiovisuales. In Brea, J. L. (Ed.). Estudios Visuales: La epistemologia de la visualidad en la era de la globalización. Madrid: Akal Estudios Visuales, 2005.

RINCÓN, Omar. Entrevista: Omar Rincón. In: Em Defesa da Comunicação Pública / organizadores, Murilo César Ramos... [et al.] – Brasília: FAC-UnB, 2016. 270 p.; Entrevista concedida a Daniel Merli.

ROCHA, SIMONE M. Estudios visuales y estilo televisivo: porque no existen medios puramente visuales. CHASQUI. REVISTA LATINOAMERICANA DA COMUNICACIÓN, v. 135, p. 297-316, 2017.

SÉRVIO, P. Pablo. O que estudam os estudos de cultura visual? Revista Digital do LAV (UFSM), vol. 7, núm. 2, p. 196-215, maio-agosto, 2014.

SR.BRASIL. Arte e cultura; Fundação Padre Anchieta, 1996-2018. Disponível em < http://tvcultura.com.br/programas/srbrasil/>. Acesso em 01 ago. 2018.

STOREY, John. Teoria cultural e cultura popular: uma introdução. São Paulo: edições Sesc São Paulo, 2015. – 512 p.

SUNKEL, Guillermo. Razón y Pasión en la prensa popular. Santiago, Ediciones y publicaciones El Buen Aire S.A. 2016. 2ª edicion – 204 p. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34176/icone.v18i1.237963

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista Ícone está sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial CC BY-NC 4.0.

Classificação de Periódicos 2013-2016, CAPES: B4 (Comunicação e Informação)

ISSN 2175-215X

© 1996-2019 Revista Ícone
Programa de Pós-Graduação em Comunicação, UFPE
Av. da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil