Educação Especial: limites e potencialidades da educação inclusiva

António Miguel Correia, Preciosa Fernandes

Resumo


O presente artigo estrutura-se com base numa pesquisa que tem como objetivo compreender percepções de professores da educação especial e de professores do ensino regular sobre potencialidades e limites de a Educação Especial (EE) se constituir em uma via para a inclusão de alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE). O estudo é de caráter qualitativo e os dados foram recolhidos num agrupamento escolar, situado no norte do Alentejo, em Portugal, no ano letivo de 2014/2015. Para tal, foram realizados focus group àqueles dois grupos de professores e  realizadas notas de terreno em contexto de reunião de docentes.  Genericamente, os resultados revelam convergências e divergências entre  as percepções destes “atores de terreno”. As convergências situam-se mais  ao nível da concepção de educação inclusiva; as divergências prendem-se, fundamentalmente, com potencialidades que uns e outros consideram que a EE pode ter na inclusão de alunos com NEE, revelando os professores do ensino regular um posicionamento menos positivo do que os professores de educação especial.

Special Education: limits and potentialities of inclusive education


Texto completo:

PDF

Referências


AINSCOW, Mel. Educação para todos: torná-la realidade. In: AINSCOW, Mel; PORTER, Gordon; WANG, Margaret (Eds.). Caminhos para as escolas inclusivas: desenvolvimento curricular na educação básica. Lisboa: IIE/Ministério da Educação, 1997, p. 11-31.

BAIRRÃO, Joaquim (coord.) et al. Os alunos com necessidades educativas especiais: subsídios para o sistema de educação. Lisboa: CNE/Editorial do Ministério da Educação, 1998.

BARDIN, Laurence. A análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

CORREIA, Luís M. Alunos com necessidades educativas especiais nas classes regulares de ensino. Porto: Porto Editora, 1997.

______. Educação especial e inclusão. Porto: Porto Editora, 2003.

______. Dez anos de Salamanca: Portugal e os alunos com necessidades educativas especiais. In: RODRIGUES, David (Org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006, p. 239-274.

______. Educação especial: aspetos positivos e negativos do Decreto-Lei n.º 3/2008. Disponível em: . Acesso em: 01 ago 2014.

______. O sistema educativo português e as necessidades educativas especiais ou quando a inclusão quer dizer exclusão. In: CORREIA, Luís Miranda (Org.). Educação especial e inclusão: quem disser que uma sobrevive sem a outra não está no seu perfeito juízo. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2010, p. 11-40.

______. Inclusão e necessidades educativas especiais: um guia para educadores e professores 2. ed. Porto: Porto Editora, 2013.

CORREIA, Miguel. Autismo e atraso de desenvolvimento: um estudo de caso. Lordelo: Fundação A Lord, 2014.

CORTESÃO, Luiza. Algumas considerações sobre Educação Intermulticultural e a Influência da Democratização do Ensino. Perspectivar Educação, nº 04, p. 21-32, 1997.

______. Cruzando conceitos. In: RODRIGUES, David (Org.). Perspectivas sobre a inclusão: da educação à sociedade. Porto: Porto Editora, 2003, p. 57-72.

COSTA, Ana M. A educação inclusiva dez anos após Salamanca: reflexões sobre o caminho percorrido. In: RODRIGUES, David (Ed.). Educação inclusiva: estamos a fazer progressos?. Cruz Quebrada: FMH Edições, 2006, p. 13-29.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia?. Lisboa: Presença, 1992.

ERIKSON, F. Qualitative methods in research on teaching. In: WITTROCK, Merlin C. (Org.). Handbook of research on teaching: a project of the American Educational Research Association. 3. ed. New York: MacMillan, 1985, p. 119-161.

FERNANDES, Preciosa. Políticas de educação especial em Portugal: uma análise a partir de um quadro de referência europeu. Acta Scientiarium. Education, nº 2, p. 201-211, 2013.

FONSECA, Vítor da. Tendências futuras na educação inclusiva. In: STOBÄUS, Claus D.; MOSQUERA, Juan J. M. (Orgs.). Educação especial: em direção à educação inclusiva. 2. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004, p. 41-63.

GONZÁLEZ, Maria C. O. Educação inclusiva: uma escola para todos. In: CORREIA, Luís Miranda (Org.). Educação especial e inclusão: quem disser que uma sobrevive sem a outra não está no seu perfeito juízo. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2010. p. 57-72).

GRAWITZ, Madeleine. Méthodes des sciences sociales. 7. ed.: Paris: Dalloz, 1986.

HEGARTY, Seamus. A integração na Europa: um desafio contemporâneo.

Comunicação apresentada no Seminário Europeu Hélios: Escola e Integração na Europa: valores e práticas. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Faculdade de Motricidade Humana, 1994.

______. O apoio centrado na escolar: novas oportunidades e novos desafios. In: RODRIGUES, David (Org.). Educação e diferença: valores e práticas para uma educação inclusiva. Porto: Porto Editora, 2001, p. 79-91.

JESUS, Saul N.; MARTINS, Maria H.; ALMEIDA, Ana S. Da educação especial à educação inclusiva. In STOBÄUS, Claus D.; MOSQUERA, Juan J. M.; (Orgs.), Educação Especial: Em direção à Educação Inclusiva (2ª ed.), Porto Alegre: EDIUCRS, 2004, p. 65-82.

LEITE, Carlinda. A territorialização das políticas e das práticas educativas. In: LEITE, Carlinda (Org.). Mudanças curriculares em Portugal: transição para o século XXI. Porto: Porto Editora, 2005, p. 15-32.

LEITE, Carlinda; FERNANDES, Preciosa. Desafios de um currículo escolar comprometido com a inclusão. Educação: Temas e Problemas, nº 03, p. 203-215, 2007.

LIMA, Carla; BENTO Raquel. (Des)inclusão: Análise crítica do D.L. 3/2008. Disponível em: . Acesso em: 05 ago 2014.

MANTOAN, Maria T. E. (2004). Uma escola de todos e com todos: O mote da inclusão. In STOBÄUS, Claus D.; MOSQUERA, Juan J. M.; (Orgs.), Educação Especial: Em direção à Educação Inclusiva (2ª ed.), Porto Alegre: EDIUCRS, 2004, p. 27-40.

MARCHESI, Álvaro; COLL, César; PALACIOS, Jesús. Desenvolvimento psicológico e educação. Porto Alegre: Artmed, 2001.

MORGADO, José. Os desafios da educação inclusiva: Fazer as coisas certas ou fazer certas as coisas. In: CORREIA Luís Miranda (Org.). Educação especial e inclusão: quem disser que uma sobrevive sem a outra não está no seu perfeito juízo. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2010, p. 73-88.

______. O estudo de caso na investigação em educação. Santo Tirso: De Facto Editores, 2012.

MORGAN, David L. Successful focus group. Advancing the state of the art. Newbury Park: Sage Publications, 1993.

NÓVOA, António. O passado e presente dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1991, p. 9-32.

RODRIGUES, David. Educação inclusiva: As boas e más notícias. In: RODRIGUES, David (Org.). Perspectivas sobre a inclusão: da educação à sociedade. Porto: Porto Editora, 2003, p. 37-55.

______. Equidade e educação inclusiva. Porto: Profedições, 2013.

SAGE, Daniel D. Estratégias administrativas para a realização do ensino inclusivo. In: STAINBACK, Susan; STAINBACK, William (Orgs.). Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999, p. 129-141.

SCHÖN, Daniel A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, António (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992, p. 77-92.

STOER, Stephan; CORTESÃO, Luiza. Levantando a pedra: da pedagogia intermulticultural às políticas numa época de transnacionalização. Porto: Afrontamento, 1999.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliet. Basics of qualitative research: techniques and procedures for developing grounded theory. 2. ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 1998.

UNESCO. Declaração de Salamanca e enquadramento da acção na área das necessidades educativas especiais. Salamanca: UNESCO e Ministério da Educação e Ciência de Espanha, 1994.

ZABALZA, Miguel. Diários de aula: um contributo para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Porto: Porto Editora, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.