Pensamento negro e educação intercultural no Brasil

Claudilene Silva, Eliete Santiago

Resumo


A despeito de a população negra constituir a maioria da população brasileira, o desejo de branqueamento do Brasil ainda invisibiliza essa população em diversos campos da sociedade, inclusive na educação. Entretanto, autoras/es referenciais no campo da pesquisa sobre Educação e Relações Raciais defendem que a população negra no Brasil sempre se preocupou com a educação de suas crianças e adolescentes expressando suas concepções e orientações. Indagamos se é possível reconhecer nas
experiências educacionais negras elementos constitutivos de uma  edagogia decolonial e se práticas educativas vivenciadas por esses movimentos podem ser consideradas na gênese da luta por uma educação intercultural no Brasil. Para avançar com essas questões, utilizamo-nos de um estudo bibliográfico, e os resultados apontam que o pensamento negro em educação no Brasil dialoga com conceitos fundamentais da educação intercultural. Sua trajetória evidencia a existência de uma constante tensão
entre a manutenção da lógica eurocêntrica e a proposição epistêmica dos descendentes de africanos no Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Adlene Silva. O papel da Colônia Orfanológica Isabel na educação e na definição dos destinos de meninos negros, brancos e índios na Província de Pernambuco (1874-1889). 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC, 2004.

CANDAU, Vera Maria Ferrão; RUSSO, Kelly. Interculturalidade e Educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, vol. 10, n. 29, pp. 151-169, janeiro-abril, 2010.

CASTRO-GOMES, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (Org.). El Giro Decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central – Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana - Instituto Pensar, 2007.

CRUZ, Mariléia dos Santos. Uma Abordagem sobre a História da Educação dos Negros. In: ROMÃO, Jeruse. História da Educação do Negro e Outras Histórias. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade /Ministério da Educação, 2005. (Coleção Educação para Todos).

CUNHA Jr., Henrique. Metodologia Afrodescendente de Pesquisa. Texto de Trabalho na disciplina de Educação Gênero e Etnia na perspectiva dos Afrodescendentes, 2006. Disponível em: http://afrobrasileira.multiply.com/journal/item/ 52?&show_interstitial=1&u=%2Fjournal%2Fitem. Acesso em 5 de abril de 2011.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento da Negritude: uma breve reconstrução histórica. In: Mediações – Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 10, n.1, p. 25-40, jan.-jun. 2005.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Tradução: Elnice Albergaria Rocha; Lucy Magalhães. Juiz de Fora, MG: Ed. UFJF, 2005.

GOMES, Nilma Lino. A Contribuição dos Negros para o Pensamento Educacional Brasileiro. In: SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves; BARBOSA, Lúcia Maria de Assunção (Org.). O pensamento negro em educação no Brasil: expressões do movimento negro. São Carlos, SP: Ed. da UFSCar, 1997.

______. Limites e Possibilidades da Implementação da Lei 10.639/03 no Contexto das Políticas Públicas em Educação. In: PAULA, Marlene; HERINGER, Rosana (Orgs.). Caminhos Convergentes: Estado e Sociedade na superação das desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Boll, ActionAid, 2009.

______. Intelectuais negros e produção do conhecimento: algumas reflexões sobre a realidade brasileira. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; GONÇALVES E SILVA, Petronilha Beatriz. O Jogo das Diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. 3. ed. 2ª reimp. Belo Horizonte: Autentica, 2004.

GONÇALVES e SILVA, Petronilha Beatriz; BARBOSA, Lúcia Maria de Assunção (Orgs.). O Pensamento Negro em Educação no Brasil: expressões do movimento negro. São Carlos, SP: EdUFSCar, 1997.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global estudos. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

HENRIQUES, Ricardo. Texto para Discussão nº 807 - Desigualdade Racial no Brasil: evolução das condições de vida na década de 90 (2001). Disponível em http:// www.ipea.gov.br acesso em 5/4/2009.

LIMA, Ivan Costa. Uma Proposta Pedagógica do Movimento Negro no Brasil: pedagogia interétnica de Salvador, uma ação de combate ao racismo. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

______. Nossas Persistências Históricas: caminhos das pedagogias do Movimento Negro no Brasil. In: Saeculum – Revista de História, João Pessoa – Paraíba, nº 25, p. 141 – 159, jul./ dez. 2011.

LUZ, Itacir Marques. Compassos Letrados: profissionais negros entre instrução e ofício no Recife (1840 – 1860). 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2008.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago. e GROSFOGUEL, Ramón. (Orgs.). El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Universidad Javeriana-Instituto Pensar/Universidad Central-IESCO/Siglo del Hombre Editores, 2007.

MIGNOLO, Walter D. Desobediência Epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política.Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, no 34, p. 287-324, 2008.

MOLINA, Thiago dos Santos. A didática da dupla consciência e o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Trabalho apresentado na 36ª Reunião Nacional da ANPEd – GT 21 - Goiânia-GO, 2013.

______. A Didática da Dupla Consciência e o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Trabalho apresentado na 36ª Reunião Nacional da ANPEd - GT 21, Goiânia-GO, 2011.

NEGRO E EDUCAÇÃO. Relatório do VIII Encontro dos Negros do Norte e Nordeste do Brasil. Recife: Movimento Negro Unificado, 1988.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes. Histórias da África e dos Africanos na Escola: tensões políticas, epistemológicas e indenitárias na formação docente. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, p. 1-18, São Paulo, julho 2011.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder y clasificación social. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago e GROSFOGUEL, Ramón. (Orgs.). El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Universidad Javeriana-Instituto Pensar / Universidad Central-IESCO / Siglo del Hombre Editores, p. 93-126, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Carta às Esquerdas (24/8/2011). Disponível em: http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=5169 [acesso em 23 de setembro de 2012].

SILVA, Claudilene. Professoras Negras: identidades e práticas de enfrentamento do racismo no espaço escolar. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2013 (Coleção Etnicorracial).

WALSH, Catherine. Interculturalidad crítica y educación intercultural. In: VIAÑA, Jorge; TAPIA, Luis; WALSH, Catherine. Construyendo Interculturalidad Crítica. La Paz – Bolivia. Instituto Internacional de Integración del Convenio Andrés Bello. III CAB, 2010.

______. Interculturalidad Crítica y Pedagogia De-Colonial: in-surgir, re-existir y re-vivir. Revista "Entre palabras", Fac. Humanidades y Ciencias de la Educación, No.3 - No.4, UMSA, La Paz - Bolívia, p 129-156, 2009.

______. Interculturalidad, Plurinacionalidade y Decolonialidad: las insurgencias político-epistémicas de refundar el Estado. In: Revista Tabula Rasa, Bogotá – Colombia, nº 9, p. 131-152, julio-diciembre, 2008.

______. Interculturalidad, colonialidade y educación. Revista Educación y Pedagogia, Medellín, Universidade de Antioquia, Facultad de Educación, vol. XIX, n. 48, p. 25 – 35, Mayo –Agosto, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Interritórios - ISSN: 2525-7668