Concepções e práticas de formação continuada na educação básica

Edlamar Oliveira dos Santos, José Batista Neto

Resumo


O texto discute resultados de pesquisa, cujo objetivo foi analisar as concepções de formação continuada, que orientaram a política de formação docente da Secretaria de Educação, Esportes e Lazer do Recife e a organização e produção das práticas formativas com professores dos ciclos iniciais do Ensino Fundamental. Nas últimas décadas, as políticas educacionais têm atribuído ênfase à formação docente como elemento fundamental para fazer frente ao grande desafio da melhoria da qualidade do ensino. É importante destacar que nesse cenário as políticas de formação continuada assumiram um tom propositivo, ao se colocarem como caminho para a efetivação de mudanças na prática docente. Predominou nesse processo a defesa da tese de que a melhoria do ensino poderia ocorrer por meio da qualificação docente. Esse entendimento, por sua vez, contribuiu para ampliação do debate da formação continuada como política pública, orientada por leis, programas e linhas de financiamentos. O processo de investigação adotou uma perspectiva qualitativa de pesquisa. A coleta de dados realizou-se por meio de entrevistas com professores e gestores da Secretaria de Educação e observação dos encontros de  formação. Procedemos, ainda, com análise de documentos oficiais relativos à formação continuada. A análise de conteúdo constituiu a nossa opção de interpretação dos dados. Como resultado, destaca-se a ideia de que as concepções e práticas de formação continuada analisadas foram estruturadas, organizadas e produzidas, considerando-se uma perspectiva de formação docente que enseja a reflexão sobre a prática pedagógica. O estudo revelou que a formação continuada é advogada como importante  instrumento de melhoria da qualidade do ensino e de valorização do magistério. Reforça-se, nesse contexto, a intenção de firmar-se a relação entre formação continuada, mudança na prática docente e melhoria do ensino.

Conceptions and practices of continuing education in basic education


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza D. A de. Etnografia da prática escolar. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70 Ltda., 1977.

BRAGA, Maria do Carmo; BRAGA, Silvia Helena Félix. Gestão democrática no Recife: o uso do orçamento participativo como parâmetro de análise. Humanae, v. 1, n. 2, p. 37-54, dez. 2008.

BRASIL. Ministério de Educação. Pró-letramento: programa de formação continuada de professores das séries iniciais do ensino fundamental. Alfabetização, Linguagem e Matemática. Brasília: MEC, 2006.

_____. Ministério de Educação. Lei nº 9394/06. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

_____. Ministério de Educação. Lei nº 9422/1996 – FUNDEF. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Brasília, MEC, 1996.

_____. Ministério de Educação. Lei nº 11.494/2007 – FUNDEB. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Brasília, MEC, 2007.

_____. Ministério de Educação. Lei nº 10.172/2001. Plano Nacional da Educação. Brasília: MEC, 2001.

_____. Ministério de Educação. Portaria nº 1403. Institui o Sistema Nacional de Certificação e Formação continuada. Brasília: MEC, 2003.

_____. Ministério de Educação. PDE: Caderno de Orientações. Brasília: MEC, 2007.

CANDAU, Vera Maria (Org.). Magistério: construção cotidiana. 4ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

CARVALHO, Janete Magalhães; SIMÕES, Regina Helena Silva. O que dizem os artigos publicados em periódicos especializados, na década de 90 sobre o processo de formação continuada do professor. In: 22ª Reunião da ANPED. Caxambu-MG, 1999.

GATTI, Bernadete A. Análise das Políticas Públicas para Formação Continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 37, p.57-70, jan/abr., 2008.

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO. Os ciclos de aprendizagem e a organização escolar. Recife: Secretaria de Educação do Recife, Fev, 2002.

_____. Política de formação continuada e formação de leitores: versão Preliminar. Secretaria de Educação Municipal – Diretoria de Ensino. (mimeo). Recife, 2005.

MARIN, Alda Junqueira. Educação continuada. Campinas, SP: Papirus, 2000.

MIZUKAMI, Maria das Graças e REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues (Orgs. Formação de professores: tendências atuais. São Carlos: EduFSCar, 1996.

NÓVOA, Antônio. Os professores na virada do milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v 25, n. 1, p. 11-20, jan/jun. 1999.

SCHÖN, Donald. Formar professores reflexivos. In: NÓVOA, Antônio. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.