O papel do SEBRAE na Disseminação da Educação Empreendedora na região Noroeste de Minas Gerais

Amanda Caroline Faria Alves, Gevair Campos

Resumo


Este estudo tem como objetivo evidenciar o papel do Programa de Educação Empreendedora do Sebrae, bem como seus pontos positivos, ressaltando a necessidade da ascensão desse tipo de educação para o crescimento econômico, social e sustentável. Essa pesquisa foi delimitada na Regional Noroeste de Minas, através da análise do Radar da Educação Empreendedora para Instituições de Ensino, uma ferramenta com atributos que permite apurar o grau de implementação do Programa, sendo assim foram disponibilizadas três devolutivas de escolas das cidades de Arinos, Paracatu e Unaí dos três tipos de graus de implementação, sendo eles alto, médio e baixo com o intuito de se analisar os diferentes tipos. A pesquisa e classificada bibliográfica, de abordagem qualitativa, com finalidade explicativa e de instrumento documental. Os dados foram analisados através da análise de conteúdo.  A relevância dos resultados está nas ações de cada dimensão formando o ecossistema de Educação Empreendedora e o engajamento de todos. Na dimensão atores evidencia a importância do papel do professor, como um dos principais agentes de transformação. Ressalta também a participação da escola como apoiadora, sustentadora e incentivadora desse programa. Os recursos e estruturas também influenciam diretamente a implementação do ecossistema empreendedor nas escolas. O Sebrae na capacitação dos agentes envolvidos no programa, exerce seu papel como agente de transformação, na disseminação da Cultura Empreendedora e seus resultados positivos, ressaltando os caminhos para a manutenção do programa.


Palavras-chave


Educação Empreendedora; Sebrae; Empreendedorismo

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, C., & Raitz, T. R. (2012). As possíveis razões do sucesso escolar em duas escolas

públicas. In Anais do Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, IX. Caxias do Sul, RS, Brasil.

Ângelo, E. B. (2003). Empreendedor Coorporativo: a nova postura de quem faz a diferença.

Rio de Janeiro: Elsevier.

Baggio, A. F., & Baggio, D. K. (2014). Empreendedorismo: Conceitos e Definições. Revista

de Empreendedorismo, Inovação e tecnologia.

Bardin, L. (2006). Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa:

Edições 70. (Obra original publicada em 1977)

Bruner, J. (1991). O Processo da educação Geral. 2ª ed. São Paulo: Nacional.

Chaer, T. (2018). Novo olhar para o futuro da educação – entrevista com Thiago Chaer.

Recuperado em 12 de abril 2018, dehttp://cer.sebrae.com.br/novo-olhar-para-o-futuro-da-educacao-entrevista-com-thiago-chaer/.

Cury, A. (2005). Nunca desista de seus sonhos. Rio de Janeiro: Sextante.

Dias, S. G., Oliveira, F. P de., Souza, J. N. P. de., Silva, L. B. da., & Suassuna, M. A. F. M.

(2015). A importância da participação dos pais na educação dos filhos no contexto escolar. In Anais Congresso Nacional de Educação. II. Campina Grande, PB, Brasil.

Dornelas, J. C. A. (2008). Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 1971. 3. ed.

Rio de Janeiro: Elsevier.

Dolabela, F. (1999). Oficina do Empreendedor. São Paulo: Cultura.

Dreher, M. T. (2004) Empreendedorismo e responsabilidade ambiental: uma abordagem de

empreendimentos turísticos. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis, SC, Brasil.

Gil, A. C. (2007). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Liberato, A. C. T. (2018). Empreendedorismo na escola pública: despertando competências,

promovendo a esperança!. Recuperado em 26 de outubro de 2018 de w.oei.es/etp/empreendedorismo_escola_publica_teixeira.pdf.

Machado, J. P., Felix, J. C., Greco, S. M. S. S, Bastos Junior, P. A., Silvestre, R. G. M.,

Moraes, A. A., Côrtes, A. M., & Friedlaender Junior, R. H. (2010). Empreendedorismo no Brasil: 2009. Curitiba: IBQP.

Melo, N. M. (2008). Sebrae e empreendedorismo: origem e desenvolvimento. Dissertação de

Mestrado, Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais, São Carlos, SP, Brasil.

Mota, M. S. G., & Pereira, F. E. de L. (2007). Desenvolvimento e aprendizagem: processo de

construção do desenvolvimento mental do indivíduo. Ed. Ministério de Educação, Brasília, 2007. Recuperado em 02 nov. 2018 de http://portal.mec.gov.br/setec/ arquivos/pdf3/tcc_desenvolvimento.pdf.

Nicola, J. A., & Paniz, C. M. (2016). A importância da utilização de diferentes recursos

didáticos no ensino de biologia. Infor, Inov. Form., Rev. NEaD-Unesp, São Paulo, v. 2, n. 1, p.355-381.

Oliveira, de A. F. (2010). Políticas públicas educacionais: conceito e contextualização numa

perspectiva didática. In: OLIVEIRA, A. F. de. Fronteiras da educação: tecnologias e políticas. Goiânia-Goiás: PUC Goiás.

Roese, A., Binotto, E., & Büllau, H. (2005). Empreendedorismo e a cultura empreendedora:

um estudo de caso no Rio Grande do Sul. In Anais Seminário de Gestão de Negócios. II Blumenau, FAE.

Satyro, N., & Soares, S. (2007). A infraestrutura das escolas brasileiras de ensino

fundamental: um estudo com base nos censos escolares de 1997 a 2005. Brasília: IPEA.

Schmidt, C. M., & Dreher, M. T. (2008). Cultura Empreendedora: Empreendedorismo

Coletivo e Perfil Empreendedor. Revista de Gestão USP, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 1-14, janeiro/março.

Sebrae Minas. (2012). Empreendedores do futuro. Passo a Passo: na medida certa. VIII, 139,

-82, abril/maio.

Sebrae Minas. (2017a). Metodologia. Recuperado em 22 mar. 2018 de

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mg/sebraeaz/programa-educacao-empreendedora-mg,b0cc1d6351ce3510VgnVCM1000004c00210aRCRD.

Sebrae Minas. (2017b). Horizontes infinitos. Passo a Passo: empreendedorismo que faz

escola. XXII, 166, 3-82, novembro 2016/janeiro.

Sebrae Minas. (2017c) Soluções do Programa. Recuperado em 28 mai. 2018 de

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mg/sebraeaz/programa-educacao-empreendedora-mg,b0cc1d6351ce3510VgnVCM1000004c00210aRCRD?origem=estadual&codUf=14.

Sebrae Minas. (2018a). Regional e Microrregião. Belo Horizonte.

Sebrae Minas. (2018b). Radar de Educação Empreendedora para Instituições de Ensino.

Belo Horizonte.

Sebrae Nacional. (2017a). Educação Empreendedora para todos os níveis de ensino. Brasília.

Recuperado em 22 abr. 2018 de http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ Programas/educacao-empreendedora-para-todos-os-niveis-de-ensino,d809d24a832 1c510VgnVCM1000004c00210aRCRD?origem=tema&codTema=2.

Sebrae Nacional. (2017b). Educação Empreendedora na Educação Profissional. Brasília.

Recuperado em 13 set. 2018 de http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ sebraeaz/educacao-empreendedora-no-ensino-tecnico,394ca15d81d36410VgnVCM 2000003c74010aRCRD.

Sebrae Nacional. (2018a). O que é o Sebrae? Recuperado em 28 mai 2018 de

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/o_que_fazemos.

Sebrae Nacional. (2018b). Estratégia. 2018b. Recuperado em 21 jun 2018 de

https://m.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/canais_adicionais/conheca_estrategia.

Sebrae Nacional. (2018c). Programa Nacional da Educação Empreendedora - PNEE.

Brasília. Recuperado em 01 mai. 2018 de http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/Programas/programa-nacional-da-educacao-empreendedora-pnee,2c7cd24a8321c510VgnVCM1000004c00210aRCRD.

Silva, M. A. O. M. da., Gomes, L. F. A. M., & Correia, M. F. (2009). Cultura e Orientação

Empreendedora: uma Pesquisa Comparativa entre Empreendedores em Incubadoras no Brasil e Portugal. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 13, n. 1, art. 4, p. 57-71, Jan./Mar.

Tan, J. (2002). Culture, nation, and entrepreneurial strategic orientations: implications for an

emerging economy. Entrepreneurship Theory and Practice, 26(4), 95-111.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Submissão ABERTA para a próxima edição. Acesse as Diretrizes para Autorese envie-nos seu texto!