LORDE: DO ESVAZIAMENTO DO “EU” PARA A BUSCA DE DIFERENTES IDENTIDADES

Aline Jéssica Antunes, Catherine Luiza Werlang

Resumo


Este trabalho propõe-se a analisar características pós modernas no romance Lorde, de João Gilberto Noll, sendo sua base de estudo o conceito de pós-modernismo cunhado por Hutcheon (1991), o conceito de não-lugar de Augé (1994) e a definição de sujeito pós-moderno apresentada por Hall (2000). A temática justifica-se pela inquietação que a falta de uma identidade sólida do protagonista causa no leitor, que acompanha sua busca por múltiplas identidades da primeira à última linha da narrativa. Constatou-se que Lorde reflete características de uma sociedade de sujeitos pós-modernos na qual as fronteiras tornaram-se fluidas e os indivíduos fragmentados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Autor, concedendo à revista o direito à primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:1984-7408

 

Licença Creative Commons
Esta revista possui trabalhos licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.