Felicidade e prudência: uma comparação entre Aristóteles e Kant

Douglas Orben

Resumo


O trabalho visa comparar os conceitos de felicidade e prudência, bem como analisar alguns contrapontos críticos, respectivamente, em Aristóteles e Kant. Inicialmente, apresenta-se a concepção aristotélica de felicidade (eudaimonia) como contemplação racional, relacionando-a com a prudência (phrónesis) compreendida como a virtude de deliberar bem sobre o que é bom. Na sequência, analisam-se os conceitos kantianos de felicidade e prudência (Klugheit), expondo a radical separação entre moralidade e felicidade, entendida como uma atividade que objetiva a satisfação das inclinações e o bem-estar subjetivo. Por fim, busca-se comparar tais concepções, ressaltando que as críticas kantianas ao eudemonismo não afetam diretamente a ética aristotélica, pois o modo como o filósofo moderno compreendeu o conceito de felicidade não representa a postura defendida pelo Estagirita.


Palavras-chave


Felicidade; prudência; Aristóteles; Kant

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.