Felicidade e prudência: uma comparação entre Aristóteles e Kant

Douglas Orben

Resumo


O trabalho visa comparar os conceitos de felicidade e prudência, bem como analisar alguns contrapontos críticos, respectivamente, em Aristóteles e Kant. Inicialmente, apresenta-se a concepção aristotélica de felicidade (eudaimonia) como contemplação racional, relacionando-a com a prudência (phrónesis) compreendida como a virtude de deliberar bem sobre o que é bom. Na sequência, analisam-se os conceitos kantianos de felicidade e prudência (Klugheit), expondo a radical separação entre moralidade e felicidade, entendida como uma atividade que objetiva a satisfação das inclinações e o bem-estar subjetivo. Por fim, busca-se comparar tais concepções, ressaltando que as críticas kantianas ao eudemonismo não afetam diretamente a ética aristotélica, pois o modo como o filósofo moderno compreendeu o conceito de felicidade não representa a postura defendida pelo Estagirita.


Palavras-chave


Felicidade; prudência; Aristóteles; Kant

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.