Educação cidadã, consciência democrática e globalização

Julian Culp

Resumo


O artigo começa com análises críticas de duas concepções amplamente empregadas de educação para a cidadania. Primeiro critica uma concepção exclusivamente doméstica de educação para a cidadania democrática como inadequada para preparar futuros cidadãos para as suas vidas em ambientes políticos e econômicos globalizados. Depois argumenta que a concepção da educação para a cidadania como formação da consciência global é funcionalista, enviesada pelo status quo e insuficientemente democrática. Com base nessas análises, o artigo passa a articular uma concepção de educação para a cidadania como conscientização democrática transnacional. Esta concepção sustenta que a educação para a cidadania deve contribuir para a formação da consciência democrática doméstica assim como transnacional. Pois, a menos que a educação para a cidadania contribua para a construção dessa consciência, como o artigo defende, não apenas os processos de tomada de decisão inter e transnacionais, mas também os domésticos, permanecerão democraticamente deficientes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Julian Culp