Educação cidadã, consciência democrática e globalização

Julian Culp

Resumo


O artigo começa com análises críticas de duas concepções amplamente empregadas de educação para a cidadania. Primeiro critica uma concepção exclusivamente doméstica de educação para a cidadania democrática como inadequada para preparar futuros cidadãos para as suas vidas em ambientes políticos e econômicos globalizados. Depois argumenta que a concepção da educação para a cidadania como formação da consciência global é funcionalista, enviesada pelo status quo e insuficientemente democrática. Com base nessas análises, o artigo passa a articular uma concepção de educação para a cidadania como conscientização democrática transnacional. Esta concepção sustenta que a educação para a cidadania deve contribuir para a formação da consciência democrática doméstica assim como transnacional. Pois, a menos que a educação para a cidadania contribua para a construção dessa consciência, como o artigo defende, não apenas os processos de tomada de decisão inter e transnacionais, mas também os domésticos, permanecerão democraticamente deficientes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Julian Culp

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.