Razão Primária, Intenção e Animais Não-Humanos

Maylson Candeira

Resumo


Este artigo tem dois objetivos. O primeiro é realizar uma análise crítica da teoria da ação Davidson (2001), segundo a qual um mero movimento corporal se torna uma ação intencional quando é justificado, racionalizado e causado pela razão primária que é constituída por uma atitude conativa – desejo – e por uma atitude cognitiva – crença. Davidson, no entanto, não toma a intenção como um estado mental distinto e a reduz à razão primária. Será feita uma análise crítica da teoria da ação de Davidson a partir da teoria de planejamento da intenção desenvolvida por Bratman (1987). A teoria de Bratman será tratada como uma extensão da teoria davidsoniana. Bratman afirma que os animais não-humanos não são agentes planejadores. O meu segundo objetivo é fazer uma crítica à distinção de Bratman e estender o campo da ação intencional para os animais não-humanos.

Palavras-chave


Ação intencional. Razão primária. Teoria do planejamento da intenção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.51359/2357-9986.2021.250138

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Maylson Candeira

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.