Habermas e o dilema das intervenções humanitárias

Anelise Gomes Vaz

Resumo


Em 1999, Habermas declarou-se a favor da ação militar da OTAN em Kosovo, defendendo-a como uma intervenção humanitária necessária. Este artigo busca explicar que este posicionamento, ao contrário do que alegam seus críticos, é coerente com as construções teóricas anteriores de Habermas, sobretudo as que dizem respeito à situação atual do Estado nacional e à legitimidade dos direitos humanos. As mudanças estruturais sofridas pelo Estado com a emergência do mercado como importante ator na esfera global levaram à gradual perda da soberania absoluta. Neste novo contexto de uma “era pós-nacional”, surge a oportunidade de implantação do que Habermas chama de Direito Internacional Cosmopolita, onde a proteção dos direitos humanos seria garantida dentro de um sistema jurídico cogente, pondo um fim ao dilema das intervenções humanitárias.


Palavras-chave


Intervenções humanitárias; Habermas; Direitos humanos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Política Hoje - ISSN: 0104-7094

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4