NÃO É ILUSÃO! (Um estudo sobre a relação entre humanos, ambiente e técnicas na prática do ilusionismo)

Christianne Silva Galdino

Resumo


A mágica desafia nossa visão, nossa racionalidade e até a nossa noção de pessoa. Profissão cercada de mistério, o ilusionismo é um lugar privilegiado para analisarmos a relação entre humanos, ambiente e técnicas. E nesse sentido, adotamos como pontos de partida alguns conceitos de autores que redimensionam (e/ou redirecionam) a dicotomia natureza-cultura, trazendo importantes contribuições ao debate antropológico sobre a ‘relação humanos-não humanos’. Ganham destaque aqui os conceitos sobre prática e técnica de Phillipe Descola; a antropologia simétrica defendida por Bruno Latour; e as noções de skill e ‘organismo-pessoa’, desenvolvidas por Tim Ingold. Na busca de entender onde está a ‘essência’ da arte mágica- se no aparelho, na habilidade técnica ou na persona do ilusionista- dialogo também com outros autores do ilusionismo, das artes cênicas e da própria antropologia, onde incluo desde Claude Lévi-Strauss e Manuela Carneiro da Cunha, até textos mais recentes, como o do brasileiro Carlos Emanuel Sautchuk.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista de Estudos e Investigações Antropológicas
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE – Brasil
reiappga@gmail.com