Por uma História do Negro no Sul do Mato Grosso: história oral de quilombolas de Mato Grosso do Sul e a (re)invenção da tradição africana no cerrado brasileiro

Lourival dos Santos

Resumo


Em Mato Grosso do Sul, a questão da identidade quilombola opôs o Instituto Histórico e Geográfico do estado e a Fundação Palmares. O primeiro emitiu parecer, em 2008, afirmando não reconhecer a presença de qualquer núcleo remanescente quilombola no estado. A segunda certificou 22 comunidades como sendo de remanescentes quilombolas até 2017. Esse artigo propõe uma nova narrativa para a História do negro na região, em diálogo com as comunidades e o conhecimento acadêmico com o potencial de reescrevermos a história dos negros na região, deslocando-os da posição de subordinados para a de protagonistas no processo de ocupação do oeste do Brasil com implicações na definição de políticas públicas de atendimento a essas comunidades, em conflito com outros interesses políticos e econômicos.


Palavras-chave


Identidade negra; Comunidades quilombolas; Mato Grosso do Sul

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANEZ, Jocimar Lomba. Ervais em Queda: Transformações no Campo no Extremo-Sul de Mato Grosso (1940-1970). Dourados-MS: Ed. UFGD, 2013.

ARRUTI, José Maurício. Mocambo: Antropologia e História do processo de formação quilombola. Bauru: EDUSC, 2006.

BASTIDE, Roger. As Américas negras: as civilizações africanas no Novo Mundo. São Paulo: Difel, 1974.

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed, 2005.

BORGES, Maria Celma Escravos, roceiros e povos originários em Sant’ Ana de Paranaíba: terra e liberdade nos campos do sul de Mato Grosso (séculos XVIII e XIX). Revista Mundos do Trabalho, v. 4, p. 45-67, 2012.

BOSI, Éclea. Memória e Sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Cia das Letras, 2004.[1979]

CARNEIRO, Edison. O Quilombo dos Palmares. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. Apud GOMES, 2006.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Religião, comércio e etnicidade: uma interpretação preliminar do catolicismo brasileiros em Lagos no século XX. In: Antropologia no Brasil: mito, história, etnicidade. São Paulo: Brasiliense: Editora da Universidade de São Paulo, 1986.

FERNANDES Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Global Editora, 2007 [1972].

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: Introdução à história da sociedade patriarcal no Brasil. Rio de Janeiro: São Paulo: Record, 2000 [1933]

FRIGERIO, Alejandro. Cultura negra em el Cono Sur: representaciones em conflito. Buenos Aires: Ediciones de la Universidad Catolica de Argentina, 1989.

GOMES, Flávio dos Santos. Histórias de Quilombolas: Mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro, século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 2006[1996].

GOMES, Flávio dos Santos. A Hidra e os pântanos: quilombos e comunidades de fugitivos no Brasil. (Séculos XVII-XIX). São Paulo: Ed. UNESP: Ed. Polis, 2005.

GOULART, José Alípio. Da fuga ao suicídio(aspectos de rebeldia escrava no Brasil). Rio de Janeiro: Conquista, 1972.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. “Intelectuais negros e formas de integração nacional in: Estudos Avançados. Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados. Vol. 18, nº 50, janeiro/abril de 2004. pp.271-284.

GUIMARÃES, Bernardo. Lendas e Romances. Rio de Janeiro: B.L. Garnier, 1871. Apud GOMES, 2006.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

HALL, Stuart. Identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

HOUAISS, Antônio & VILLAR, Mauro de Salles. Grande Dicionário da Língua Portuguesa, versão eletrônica em http://houaiss.uol.com.br/, acessado em 22 de novembro de 2017.

LUNA, Luís. O negro na aluta contra a escravidão. Rio de Janeiro: Leitura, 1968. Apud GOMES, 2006.

M’BOKOLO, Elikia. África Negras: História e Civilizações. Tomo I (até o século XVIII). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa das Áfricas, 2009

MEIHY, José Carlos Sebe Bom & RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado. Guia Prático de História Oral para empresas, universidades, comunidades, famílias. São Paulo: Ed. Contexto, 2011.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da Senzala (quilombos, insurreições, guerrilhas). São Paulo: Zumbi, 1959. Apud GOMES, 2006.

NOGUEIRA, Oracy; “Preconceito de marca e preconceito racial de origem (sugestão de um quadro de referência para a interpretação do material sobre relações raciais no Brasil) ” in: Tanto preto quanto branco: estudos de relações raciais. São Paulo: T.A. Queiroz, 1985, pp.67-93.

PORTELLI, Alessandro. Ensaios de História Oral. São Paulo, Letras e Voz, 2010.

PRADO JUNIOR, Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2004 [1945].

SANSONE, Lívio. Negritude sem Etnicidade: O local e o global nas relações raciais e na produção cultura negra do Brasil. Salvador: EDUFBA; Pallas, 2003.

SANTOS, Carlos Alexandre Barboza Plínio dos. Fiéis-Descendentes: Redes-Irmandades na pós-abolição entre as comunidades negras rurais sul-mato-grossenses. Brasília, Unb. Tese de Doutorado, 2010.

VILLAS BOAS, Orlando e Cláudio. A Marcha para o Oeste: a epopeia da Expedição Roncador-Xingu. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. [1943-44]




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2017.35.2.al.05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas