Uma imprensa para o teatro

Luciana Penna-Franca

Resumo


A compreensão da história do teatro amador carioca no final do século XIX e início do XX é possível, em grande medida, pelos periódicos dedicados aos “assuntos teatrais”. Essa produção periodista é significativa tanto em número quanto na sua diversidade, revelando não apenas o lugar que o teatro ocupava na capital, como o reconhecimento da imprensa como espaço de divulgação de peças, formação de públicos e opinião, projeção de artistas, etc., como também de relações pessoais e pedidos e trocas de favores entre empresários e jornalistas. Mais ainda, a produção de jornais pelos clubes dramáticos amadores demonstra a sua compreensão do papel que a imprensa ocupava na divulgação de formas de agir e pensar além dos palcos, mas no próprio cotidiano. 


Palavras-chave


Imprensa; Rio de Janeiro; Teatro amador; Associativismo

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, Danielle Crepaldi. “Arte” em tempos de “chirinola”: a proposta de renovação teatral de Coelho Netto (1897-1898). Dissertação de mestrado no programa de Teoria e História Literária da Unicamp, 2009

COUTINHO, Júlia Alves. Um projeto de renovação teatral: O Festival do Centro Artístico e o teatro amador em 1898. Campinas, Monografia apresentada ao Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, 2009.

CRUZ, Heloísa de Faria e PEIXOTO, Maria do Rosário da Cunha. Na oficina do historiador: conversas sobre história e imprensa. Projeto História, São Paulo, n.35, dez.2007.

ENGEL, Magali Gouveia, CORRÊA, Maria Letícia, SANTOS, Ricardo Augusto dos. (orgs) Os intelectuais e a cidade - séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Contra Capa, 2012.

GOMES, Tiago de Melo. Um espelho no palco. Identidades sociais e massificação da cultura no teatro de revista dos anos 1920. Campinas, Ed. da Unicamp, 2004.

HIPÓLIDE, Eduardo Gramani. O teatro anarquista como prática social do movimento libertário (São Paulo e Rio de Janeiro - de 1901 a 1922). Dissertação de mestrado em História pela PUC-SP, 2012.

MACIEL, Laura Antunes. Cultura letrada, intelectuais e memórias populares. In: ENGEL, Magali Gouveia, CORRÊA, Maria Letícia, SANTOS, Ricardo Augusto dos. (orgs) Os intelectuais e a cidade - séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Contra Capa, 2012.

MENCARELLI, Fernando Antonio. Cena Aberta - a absolvição de um bilontra e o teatro de revista de Arthur Azevedo. Campinas, Editora Unicamp, 1999.

MENDONÇA, Leandro Climaco. Nas margens: Experiências de suburbanos com periodismo no Rio de Janeiro, 1880-1920. Dissertação de mestrado em História. Niterói, 2011.

NEVES, Larissa de Oliveira, LEVIN, Orna Messer (orgs). O Theatro – crônicas de Arthur Azevedo. Editora Unicamp, SP, 2009.

SOUZA, Silvia Cristina Martins de. Ao Correr da Pena: uma leitura dos folhetins de José de Alencar. In: CHALHOUB, Sidney e PEREIRA, Leonardo Affonso de M. (org.). A História Contada - capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro, Ed. Nova Fronteira, 1998.

WERNECK, Maria Helena e REIS, Angela de Castro (orgs.). Rotas de teatro entre Portugal e Brasil. Rio de Janeiro, 7Letras, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2017.35.2.do.02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas