O Nordeste e a questão agrária: discursos de um periódico católico para o campo cearense, 1961-63

Max Fellipe Cezario Porphirio

Resumo


Nosso trabalho consiste em analisar a utilização do O Nordeste – jornal católico cearense – como instrumento de propagação das diretrizes da hierarquia católica para o campo brasileiro a partir de 1961. As mudanças pelas quais esse jornal passou entre 1961 e 1963, no que se refere ao trato da questão agrária, são elucidativas sobre o esforço despendido pela hierarquia católica na luta pela organização política do trabalhador rural. Adotando como referências teórico-metodológicas as ideias desenvolvidas por Jean-Noël Jeanneney, Norman Fairclough, Regina de Luca, Cruz e Peixoto, procuramos fazer uma análise bidimensional do discurso desse periódico, discutindo tanto sua estrutura textual – vocabulário e estratégias argumentativas – como a conjuntura político-econômica na qual se inseria. Para tanto, dividimos o artigo em três partes: apresentaremos as formas de atuação da Igreja Católica no campo brasileiro; discutiremos a maneira pela qual O Nordeste noticiou os problemas rurais entre 1961 e 1963; debateremos como os trabalhadores rurais foram caracterizados por esse periódico.


Palavras-chave


Imprensa; Trabalhadores rurais; Igreja; Questão agrária

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Ronald de Figueiredo. Igreja, Sindicato e organização dos trabalhadores. Dissertação de mestrado, Sociologia do Desenvolvimento, Centro de Humanidades, UFC, 1991.

ALVES, Márcio Moreira. A Igreja e a Política no Brasil. São Paulo: Editora Brasiliense, 1979.

AZEVÊDO, Fernando Antônio. As Ligas Camponesas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

CARVALHO, Abdias Vilar de. A Igreja católica e a questão agrária. In: PAIVA, Vanilda. Igreja e questão agrária. São Paulo: Loyola, 1985, p. 68-109.

CRUZ, Heloísa de Faria & PEIXOTO, Maria da Cunha. Na oficina do historiador: conversas sobre história e imprensa. Projeto História. São Paulo, v. 35, 2007, p. 253-270.

DELGADO, Jaime Ornelas. Volver al desarrollo. Problemas del Desarrollo, Cidade do México, v. 43, n. 168, jan./mar. 2012, p. 7-35.

DEL ROIO, Marcos. A Teoria da Revolução Brasileira: tentativa de particularização de uma Revolução Burguesa em Processo. In: e MORAES, João Q. (Orgs.) História do Marxismo no Brasil: visões do Brasil. Campinas: Unicamp, 2014, 4 v., p. 73-134.

ECKERT, Cordula. O Master e as ocupações de terra no Rio Grande do Sul In: MEDEIROS, Leonilde Servolo; PAULILO, Maria Ignez; FERNANDES, Bernardo Mançano (Orgs.). Lutas camponesas contemporâneas: condições, dilemas e conquistas. São Paulo: Editora UNESP; Brasília, DF: Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, 2009, 1 v., p. 71-93.

FÁVERO, Osmar. Uma pedagogia da participação popular: análise da prática pedagógica do MEB – Movimento de Educação de Base, 1961-1966. Campinas: Autores Associados, 2006.

GRYNSZPAN, Mário. Mobilização camponesa e competição política no Estado do Rio de Janeiro (1950-1964). Dissertação de mestrado, Antropologia Social, Museu Nacional, UFRJ 1987.

KADT, Emanuel. Católicos Radicais no Brasil. Brasília, DF: UNESCO/MEC, 2007.

MAINWARING, Scott. Igreja e Política: anotações teóricas. Síntese, n. 27, jan./abr. 1983, p. 35-56.

MARTINS, José de Souza. Os camponeses e a política no Brasil: as lutas sociais no campo e seu lugar no processo político. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1983.

MBAYA, Etienne-Richard. Gênese, evolução e universalidade dos direitos humanos frente à diversidade de culturas. Estudos Avançados. v. 11, n. 30, 1997, p. 19-41.

MEDEIROS, Leonilde Servolo de. A questão da reforma agrária no Brasil. Dissertação de mestrado, Ciência Política, FFLCH, USP, 1983.

MEDEIROS, Leonilde Servolo de. Lavradores, trabalhadores agrícolas, camponeses: os comunistas e a constituição de classes no campo. Tese de doutorado, Ciências Sociais, IFCH, Unicamp, 1995.

MEDEIROS, Leonilde Servolo de. Movimentos Sociais no Campo, Lutas por Direitos e Reforma Agrária na Segunda Metade do Século XX. In: CARTER, Miguel (Org.). Combatendo a Desigualdade Social: o MST e a Reforma Agrária no Brasil. Tradução de Cristina Yamagami. São Paulo: Editora UNESP, 2010, p. 113-136.

MENDONÇA, Sônia Regina. Estado, Educação Rural e Influência Norte-Americana: 1930-1961. Niterói: Editora da UFF, 2010.

MOREIRA, Vânia Losada. Nacionalismos e reforma agrária nos anos 50. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 18, n. 35, p. 329-360, 1998.

PAGE, Joseph A. A revolução que nunca houve: o Nordeste do Brasil (1955-64). Rio de Janeiro: Record, 1972.

PAIVA, Marlúcia Menezes (Org.). Escolas radiofônicas de Natal: uma história construída por muitos (1958-1966). Brasília: Liber Livro, 2009.

RICCI, Rudá. Terra de Ninguém: representação sindical rural no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

RODRIGUES, Fabiana de Cássia. O papel da questão agrária no desenvolvimento do capitalismo nacional, entre 1950 e 1964, em Caio

Prado Jr., Celso Furtado, Ignácio Rangel e autores pecebistas. Dissertação de mestrado, Economia, Instituto de Economia, UNICAMP, 2005.

SANTOS, Jovelina Silva. Círculos Operários no Ceará: “instruindo, educando, orientando e moralizando” (1915-63). Dissertação de mestrado, História Social, Centro de Humanidades, UFC, 2004.

SILVA, Fernando Teixeira. Justiça de classe: tribunais, trabalhadores rurais e memória. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 4, n. 8, 2012, p. 124-160.

SINGER, Paul. Interpretação do Brasil: uma experiência histórica de desenvolvimento. In: FAUSTO, Boris (dir.) História Geral da Civilização Brasileira: o Brasil Republicano. Economia e Cultura. São Paulo: DIFEL, 1984, 4 v., p. 209-245

SOUZA, Enilce Lima Cavalcante. Campo e palavras: dimensões da questão agrária no Ceará, 1954-64. Dissertação de mestrado, História Social, Centro de Humanidades, UFC, 2005.

TAPIA, Jorge. Capitalismo e questão agrária: um estudo sobre as alternativas para a Reforma Agrária no Brasil (1946-64). Tese de mestrado, Ciência Política, IFCH, Unicamp, 1986.

WELCH, Clifford Andrew. A Semente foi plantada: as raízes paulistas do movimento sindical camponês no Brasil, 1924-64. São Paulo: Expressão Popular, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22264/clio.issn2525-5649.2019.37.1.03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

                    

                                   

 

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas