As partes e gentes da África na obra de Padre Antônio Vieira: a construção da figura literária e a idéia do Quinto Império

Luís Filipe Silvério Lima

Resumo


Resumo: A proposta deste artigo é apontar o debate em torno das categorias das partes e gentes do mundo na obra do Padre Antônio Vieira, tendo em vista o projeto do Quinto Império e qual o espaço que África e os escravos negros no Brasil tomaram nesse projeto. Para tanto, contudo, é interessante traçar como a questão da escravidão negra foi vista pela historiografia e crítica literária brasileira, em especial, acompanhando a construção da figura literária e histórica de Vieira desde finais no século XIX. A partir da retomada desse percurso, pode-se identificar melhor as camadas que foram sendo depositadas e atribuídas ao jesuíta que edificaram descrições ora positivas ora negativas, mediadas por idéias de nação, pátria, progresso, civilização e humanidade. Menos do que propor uma leitura esterilizada de qualquer parcialidade, retraçar um percurso da recepção da obra vieirense nos dois séculos passados permite contornar (falsos) problemas sobre a “modernidade” ou não de Vieira e repensar as abordagens sobre sua produção dando atenção a outras “gramáticas”, reconstruídas a partir de elementos coevos e preocupadas com outros problemas.

 

Palavras-chave: Padre Antônio Vieira; Historiografia Literária; Escravos; África; Quinto Império


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         em 20. Set. 2018 Contador de visitas