As prisões e o destino dos Jesuítas do Grão-Pará e Maranhão: narrativa apologética, paradigma de resistência ao anti-jesuitismo

Luiz Fernando Medeiros Rodrigues

Resumo


O anti-jesuitismo constitui um fenômeno e um movimento religioso, cultural, sóciopolítico, a nível internacional. Um dos mais inexoráveis perseguidores da Companhia foi Sebastião José de Carvalho e Melo, que desencadeou uma feroz campanha anti-jesuítica, com influências internacionais. Após a sua caída, os jesuítas sobreviventes, dispersos pelos vários reinos, ensaiaram um processo de resistência ao anti-jesuitismo europeu com escritos. O objetivo deste artigo é examinar um destes escritos, a “Relação de algumas causas que succederão aos Religiosos da Companhia de Jesus no reyno de Portugal, nas suas prisões, desterros e carceres, [...] do anno 1759 athe o anno 1777, no reinado del Rey D. José I [...]”, de Lourenço Kaulen, inserindo-o no “processo de resistência ao anti-jesuitismo” (e a sua expressão mais violenta, a jesuitofobia), como tentativa dos ex-jesuítas sobreviventes de contraatacarem o imaginário mítico do “complot dos jesuítas” e do jesuitismo como sendo prejudicial à sociedade e fonte de toda sorte de malefícios. Kaulen inaugura um novo tipo de escrito, o “apologético-histórico”, modelo e paradigma para outros relatos e apologias filojesuíticas. O estilo retórico-apologético, com conotação fortemente emotivo-dramática, longe de marginalizar a inteligência crítica e o discernimento soberano do leitor, procurará recompor a dinâmica do esquema mental do sentir com dos Exercícios, levando-o ao discernimento do justo-injusto, leal desonesto, coerente-incoerente. Discernimento que adirará o emocional e se constituirá no caminho por excelência da práxis e do agir ético, isto é, na necessidade de reparação das injustiças feitas aos jesuítas. Através desta dinâmica, o autor estimulará a inteligência discernitiva do leitor, animando-o a deixar de ser um mero “ouvinte” passivo e inoperante, para ser agente de superação das injustiças e de restabelecimento da justiça, restabelecendo a honra da Companhia e a justiça aos jesuítas.

 

Palavras chave: Anti-jesuitismo; Lourenço Kaulen; Companhia de Jesus


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                          

             

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                  contador inserido em 14. Junho. 2018   hits counter html