RESISTÊNCIA E REPRODUÇÃO CAMPONESA: luta por terra na região canavieira pernambucana

Marcos Antonio B. Figueiredo

Resumo


Como resposta a crise gerada pelo modelo canavieiro capitalista, camponeses sem terra e trabalhadores rurais e urbanos da região canavieira pernambucana desenvolveram, através de movimentos sociais, uma ação social coletiva com a finalidade de conquistar terra para formar assentamentos e responder as suas necessidades de reprodução social. Este processo, caracterizado por conflitos sociais, em geral violentos, expressou toda uma capacidade de mobilização e resistência do campesinato para permanecer em terras improdutivas de engenhos e usinas falidas. Com isto, protagonizaram um processo de intensa mobilização social, nas duas décadas passadas, se constituindo como “sujeitos da reforma agrária”, que resultou na melhoria das condições de vida e na autoconfiança das famílias camponesas assentadas.

 

Palavras-chave: assentamentos rurais; resistência camponesa; zona canavieira pernambucana.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores:

             


                          

 

 

  Endereço: Avenida da Arquitetura, s/n, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) - 10º andar, CEP: 50740-550, Cidade Universitária, Recife-PE, Brasil. Email: editorclio@gmail.com. Fone: +55 (81)2126-8291