CRIAS DO ABANDONO, FILHOS DA ORDEM. ASSISTÊNCIA, PODER E RESISTÊNCIA NO COLÉGIO DOS ÓRFÃOS DE PERNAMBUCO (1835 A 1875)

Alcileide Cabral Nascimento, Gabriel Navarro Barros

Resumo


O presente artigo investiga como o governo de Pernambuco, entre os anos de 1835 a 1875, viabilizou estratégias de formação de trabalhadores minimamente qualificados para o mercado de trabalho livre e de disciplinamento de garotos órfãos e desvalidos, visando a um maior controle social. Uma das instituições criadas com esse intuito foi o Colégio dos Órfãos, que tinha o objetivo de produzir corpos dóceis e reduzir o acúmulo de meninos “ameaçadores” nas urbes. Neste período, emerge uma nova percepção acerca da infância desvalida, entendida agora como perigosa, e ganha força e poder a via filantrópica que tem a intenção de transformar esses rapazes desvalidos em força de trabalho útil, dócil e disciplinada para o mercado de trabalho livre na província de Pernambuco.

Palavras-chave: Infância; Políticas assistenciais; Colégio dos Órfãos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 .

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

                        

                

eISSN: 2525-5649  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com

                                                                                                                                                                         desde 20. Set. 2018  Contador de visitas