PAJÉS, DEMÔNIOS E CANIBAIS: REPRESENTAÇÕES ACERCA DOINDÍGENA AMERICANO NA ICONOGRAFIA EUROPÉIA DO SÉCULO XVI

Rodrigo Luiz Simas de Aguiar, Aline Maria Müller

Resumo


Para justificar a conquista da América havia a necessidade do europeu barbarizar a figura dos indígenas americanos. Inúmeras imagens passaram a ser difundidas pelas obras literárias e relatos de viagens, incorporando-se ao imaginário europeu do século XVI. Dentre os temas mais abordados estão a antropofagia, a guerra, a não humanidade dos ameríndios, bem como a associação dos rituais religiosos indígenas com a adoração ao demônio. Os gravados que ilustram a obra Americae, publicada por Theodor De Bry, estão entre os principais responsáveis pela constituição destas representações no imaginário europeu. Nas crônicas, caciques e pajés aparecem constantemente como os responsáveis por fazer cumprir os desejos de lúcifer na terra e seriam culpados de conduzir os outros indígenas à perdição. A associação do indígena com o demônio está presente em muitas das gravuras do século XVI, como aquelas que ilustram a obra Americae, analisadas no presente artigo.

Palavras-chave: Indígenas, representações, iconografia, século XVI


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                          

             

 ISSN: 0102-9487  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com