COMPARANDO A TUBERCULOSE E A AIDS NO BRASIL

Dilene Raimundo do Nascimento

Resumo


Este artigo realiza uma análise comparada da tuberculose e da Aids no Brasil, no início e fins do século XX, respectivamente. Entende-se que essa análise comparativa possibilita uma nova compreensão dessas patologias, na medida em que se explicita não apenas o caráter de sua incidência, mas o modo como indivíduos e sociedades por elas atingidas a vivenciaram.Tomando a transmissibilidade e a incurabilidade como elementos comuns de ambas as doenças, a cada época, procurou-se investigar as repercussões sociais e as estratégias científicas e institucionais construídas para combatê-las. Nesse sentido, verificou-se que ambas as doenças produziram uma experiência coletiva marcada pela estigmatização do doente. Pela diferenciação do contexto político, social e científico, de cada época, a ação de combate às doenças coube, inicialmente, a grupos fora do Estado, sendo que, no caso da tuberculose, aos médicos que se organizaram na Liga Brasileira contra a Tuberculose, e, no caso da Aids, aos próprios doentes que criaram organizações não governamentais (Ongs). E tanto uma quanto outra organização pressionou o Estado a assumir a responsabilidade pelo combate às doenças que, por se tratar de doenças transmissíveis requeria uma ação estatal.Os relatórios da Liga Brasileira contra a Tuberculose, de 1900 a 1920, bem como os boletins da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids e do Grupo pela Vidda, de 1988 a 1996, ― Ongs tomadas como estudo de caso ― foram fontes fundamentais utilizadas para essa análise.Palavras-chave: AIDS, Tuberculose, Brasil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                          

             

 ISSN: 0102-9487  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com