A PRESENÇA INDÍGENA NA CONSTITUIÇÃO DA CIDADE DE ÁGUAS BELAS, PERNAMBUCO.

Mariana Albuquerque Dantas

Resumo


p.p1 {margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px 'Times New Roman'; min-height: 15.0px} p.p2 {margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 11.0px 'Times New Roman'} span.s1 {font: 12.0px 'Times New Roman'}

 

 Grande parte das cidades contemporâneas do interior de Pernambuco foi constituída através de fluxos populacionais variados de colonos, mas principalmente a partir das relações destes com índios aldeados. Na região em que hoje está situada a cidade de Águas Belas, no agreste pernambucano, podemos acompanhar as trocas vivenciadas entre índios e não-índios no seu estabelecimento e desenvolvimento durante o final do século XVIII e o XIX. O objetivo deste artigo é trazer uma discussão sobre a formação desta cidade, conferindo enfoque na participação indígena na vida cotidiana local por meio das relações de conflito e alianças estabelecidas com não-índios. Dessa forma, a análise do caso de uma cidade e de sua dinâmica social marcada pela presença indígena, contribui para o debate de novas questões sobre a formação do interior de Pernambuco. 

Palavras-chave: aldeamento; cidade; dinâmica social. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                          

             

 ISSN: 0102-9487  Av. da Arquitetura, s/n CFCH-10°Andar, CDU - Recife-PE - CEP: 50740-550 Fone:+55(81)2126-8292  editorclio@gmail.com